5 motivos que me fizeram escolher o papel de parede ao invés da pintura

Desde o colegial, sentia que iria ter a minha independência cedo, e consequentemente, fiz diversos planejamentos na minha cabeça de como as coisas seriam quando isso acontecesse. Quando imaginava a minha vida independente, alguns detalhes faziam parte de todos os meus projetos: sempre quis trabalhar por conta própria, morar em apartamento e ter um quarto com papel de parede de tijolinhos. Engraçado pensar nisso, porque eu realmente conquistei a minha independência muito rápido e logo que isso aconteceu, consegui realizar não apenas uma, mas as três vontades que eu tinha.

Se você não mora mais com seus pais, sabe que no início, é muito difícil lidar com as responsabilidades por trás de uma vida independente. Apesar de todos os pontos positivos, é preciso ter a noção de que nem tudo são flores. Você vai estar em um novo ambiente, diferente daquele que você foi criado. As suas contas serão exclusivamente suas. Sua roupa, sua comida, a limpeza e organização da casa, serão responsabilidades suas. Ou seja, o processo de adaptação precisa acontecer e engana-se quem pensa que ele é fácil.

No início, eu e meu marido não conseguimos realizar de cara todas as vontades que tínhamos. Mas, na hora que chegou a fase de colocar os sonhos que tínhamos em prática foi mágico. O apartamento que morávamos era alugado, então quando começamos a decorar da forma que queríamos, optamos por buscar opções que conseguiríamos levar conosco, caso a gente se mudasse. Foi quando surgiu o conflito: ter papel de parede ou investir na pintura?

5 motivos que me fizeram optar pelo papel de parede ao invés da pintura

  • A originalidade do papel de parede: quando você entra em um ambiente que tem o papel de parede, não tem como não se admirar com o efeito que ele consegue criar. Principalmente, em cômodos pequenos, investir no papel de parede é garantir o diferencial que você procura, sem ocupar espaço ou gastar muito.

Durabilidade: tive os papéis de parede da Loja Parede de Papel por cinco anos no apartamento, e pasmem: nenhum sujou, descolou ou estragou em algum espaço. Se fosse uma pintura, provavelmente, teria alguma marca, principalmente de mão, que ficaria aparente. O papel não, os meus não sujaram, mas se algo acontecesse, um pano úmido resolveria. Ou seja, é um investimento que te entrega um resultado impecável por muuuito tempo!

Complementa a decoração: com o papel de parede o quarto toma forma. Ou seja, com o papel de parede, alguns objetos decorativos e os poucos móveis são suficientes para criar um ambiente moderno, bonito e aconchegante. Tanto no apartamento, como na casa que moro hoje, os cômodos não são grandes, com o papel de parede consigo criar o destaque do ambiente nas paredes, ao invés de enchê-lo de móveis e decorações, que só ocupariam espaço e precisariam de tempo para manter o ambiente organizado e bonito.

Custo benefício: dependendo do papel de parede que você escolher, como por exemplo, o papel galhos, você pode gastar em torno de duzentos à duzentos e cinquenta reais para preencher uma parede. Se você colocar na ponta do lápis é o mesmo valor de uma pintura. No entanto, a pintura não tem a mesma durabilidade, nem causa o mesmo efeito que um papel de parede. O papel de parede pode durar até dez anos na sua parede, agora, divide o valor gasto em dez anos: o custo benefício vale a pena, né?

Por último, ele é super fácil de aplicar. Tanto os papéis de parede que eu tinha no apartamento, como os que tenho na minha casa, eu mesma que fiz a aplicação e deu super certo. Ou seja, é algo que vai transformar o seu ambiente e que você mesma pode fazer.

Você tem ou já teve vontade de ter um papel de parede? Compartilha com a gente!

Espero muito que vocês gostem, um super beijo e até o próximo post!

22 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *