Fim das curtidas do Instagram: como isso afeta o trabalho das criadoras de conteúdo?

Quando foi que a gente abriu mão de ser a gente para se tornar números? Desde quando somos categorizados pela quantidade de curtidas que temos em uma foto no Instagram? Será que vale a pena viver em torno de um feed e se tornar apenas um número? Não. Não podemos resumir tudo o que somos em algo tão pequeno, tão passageiro. Há alguns meses atrás, o Instagram anunciou que não veríamos mais a quantidade de curtidas que a foto de uma pessoa teve, e para o desespero de alguns, isso entrou em vigor nesta quarta-feira. Depois que as curtidas chegaram ao fim, ficou visível a dependência que criamos pelos números. Afinal, quantas pessoas não viviam em torno de tirar fotos e esperar as curtidas aparecerem? Quantas pessoas não ficavam se comparando o tempo todo e se vangloriando por ter mais curtidas que fulano ou ciclano? Vidas que mais eram comparações, do que vida. Vidas que só existiam em um feed do Instagram. E que agora, chegaram ao fim.

fim dos likes no Instagram

Poderia escrever por horas sobre como essa fixação pelos números afeta nossa vida diariamente. Entretanto, um ponto nesse mudança me chamou mais atenção: como o nosso trabalho de criadora de conteúdo irá mudar por conta dessa atualização no Instagram. Depois de criar as contas comerciais e permitir que os influenciadores patrocinassem suas postagens para que elas tivesse mais alcance, agora o Instagram também decidiu mudar a aparição das curtidas das publicações, deixando esse número restrito ao proprietário da conta que fez a postagem. O objetivo, segundo eles, é que as pessoas se concentrem mais no conteúdo do que eles postam nas mídias sociais e menos no número de curtidas que isso gera. Mas, não foi só por isso que essa mudança aconteceu.

O fim das curtidas, segundo o Instagram, é porque muitas pessoas baseiam-se naquele número para denominar sua auto-estima. Isso chegou em um nível, que muitas fotos são descartadas por não estarem perfeitas e por não gerarem curtidas. Ou seja, o Instagram se tornou um lugar competitivo e isso o saturou. Tirar as curtidas é uma forma genuína da rede social de melhorar a ansiedade e a necessidade de aceitação dos seus usuários. No entanto, a mudança não aconteceu apenas por causa da saúde mental de seus usuários, a rede social de Zuckerberg também deseja intermediar e controlar um pouco mais essa facilidade que os criadores de conteúdo possuem de capitalizar na rede social com o objetivo de redirecionar esses anúncios para a própria plataforma.

coffe

Prova disso é que outra mudança anunciada pelo Instagram é que, indo além de simplesmente marcar a empresa que estão vestindo ou os produtos que estão naquela fotografia, os influenciadores poderão direcionar o seguidor imediatamente para o site da marca para comprar o produto, assim como já acontece nos perfis empresariais. Essa é mais uma forma do Instagram saber quantos anúncios aquele criador de conteúdo fez, quanto ele ganha com aqueles anúncios e quantas vendas ele gera para cada empresa. Inegavelmente, nós criadores de conteúdos, somos analisados pelas nossas métricas, antes de uma empresa chegar até nós, ela avalia nosso número de seguidores, curtidas e comentários. Sem esses dados expostos, pode ser mais difícil para as empresas e suas equipes de marketing escolherem com quem vão trabalhar. Mas é importante ressaltar alguns pontos:

Um criador de conteúdo pode ter muita influência com poucos likes. Da mesma forma, que um criador de conteúdo pode ter zero influência e milhões de likes. O engajamento se tornou a métrica mais importante para determinar a popularidade de uma postagem. Alguns perfis, usaram da compra de seguidores e das curtidas, porque não conseguiam números de forma orgânica para conseguir fechar trabalhos e parcerias com a rede social. Até hoje muitas marcas e agências desavisadas contratam influenciadores com milhares de seguidores e curtidas, mas sem nenhuma interação verdadeira de seu público. Por isso, não se preocupe, números não definem o seu trabalho, nem seu engajamento.

Você não será mais contratada pelos seus números, será contratada pelo seu conteúdo. O fim das curtidas trouxe consigo um contato mais humano entre empresas e influenciadores, agora não seremos contratados apenas por termos bons números, seremos contratados porque teremos nosso conteúdo reconhecido. Se antes éramos analisados pelo número de curtidas e comentários que tínhamos, agora seremos analisados pela nossa interação, impressões, conteúdos, alcances e cliques.

Ainda teremos acesso ao número de curtidas que nossas publicações tiveram. Ou seja, não muda muita coisa para nós que trabalhamos com números. As agências ainda podem ter acesso aos dados, desde que solicitem ao criador de conteúdo. Nosso trabalho se tornará mais analítico, mais qualitativo e menos quantitativo.

Os comentários ainda serão públicos. Mais que curtidas, os comentários autênticos poderão ser uma excelente maneira de avaliar rapidamente o quão engajado é aquele criador de conteúdo. Se as pessoas comentam, você sabe que elas foram afetadas e essa é uma boa maneira de analisar conexões entre público e criador de conteúdo.

curtidas do Instagram

Se você também trabalha com as suas redes sociais, você sabe que criar conteúdo afeta diretamente nossa vida real, afinal, é ela que é compartilhada o tempo todo com centenas de pessoas. Sem as curtidas, estaremos mais abertos a compartilhar conteúdos espontâneos, menos propensos às comparações com outros usuários. Mudanças são sempre bem-vindas, se não fossem por elas, estaríamos sempre no mesmo lugar. Desfrute dessa mudança para sair da sua zona de conforto. Explore novas ideias, novos conteúdos, novas formas de trabalhar. Não tenha medo do novo, algo muito melhor acabou de chegar, basta querermos explorar.

O que vocês acharam do fim das curtidas do Instagram?

Espero muito que vocês tenham gostado do post. Um super beijo!

56 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *