As pessoas não mudam, na verdade, elas nunca foram como você pensava

Quando era pequena, acreditava em contos de fada, que casamentos eram para sempre e que as pessoas não tinham maldade no coração. Era o tipo de pessoa que sempre que via alguma atitude que repudiava, tentava achar um motivo para aquilo ter acontecido ou tentava não pensar para não me decepcionar com quem fez. Insistia em viver em um mundo ilusório porque não queria acreditar que algumas pessoas magoam porque querem, tiram proveito da fragilidade para se darem bem, julgam e ofendem apenas para machucar. Mas, mesmo sem querer acreditar, elas existem. E um dia, sem entender muito como acontece, paramos de fazer vista grossa e enxergarmos a vida como ela realmente é: com encantos, aprendizados e surpresas que por vezes surpreende, e outras, mostram quem as pessoas realmente são.

Quem sou hoje é diferente da pessoa que eu era ontem. Somos uma mudança diária. No entanto, mesmo com nossas metamorfoses, nossa essência e valores permanecem intactos. Ninguém consegue manter um personagem por muito tempo, máscaras não duram para sempre, quem realmente somos, sempre prevalece. É o caso da amiga que se afastou de uma hora para outra, do chefe que se tornou autoritário, do namorado que ficou agressivo, enfim, as pessoas mudam o tempo inteiro, e por vezes, elas deixam aflorar um lado que parecia dormente até então.

Entretanto, mais importante que refletir sobre as pessoas, é refletir sobre o nosso próprio comportamento, sobre o que nós estamos emanando para o mundo, como estamos lidando com as adversidades e problemas. Viver não é uma tarefa simples, por isso, é importante que não julguemos o comportamento do outro, não sabemos como tem sido sua caminhada. É preciso saber respeitar e entender que nem sempre a realidade do outro é a mesma que a nossa, mesmo que a gente se surpreenda com as suas atitudes. Faça a sua parte, sem querer salvar o mundo, e se um dia acontecer de você puder ajudar outra pessoa, seja a mudança que ela precisa. Se algum dia, tivermos a dádiva de fazer alguém mudar por nós, que sejamos responsáveis por uma mudança positiva. Porque de mal, o mundo já está cheio demais.

Como aceitar que a pessoa que amamos não é como pensamos inicialmente? Este tipo de situação é uma realidade comum, e na verdade, ela não acontece apenas entre casais, colegas de trabalho ou amizades, essas mudanças podem acontecer até entre laços familiares. Não há fórmula mágica que nos permita ver rapidamente como as pessoas realmente são. Na verdade, muitas vezes nem elas sabem disso. É necessário viver, para que seja a própria vida quem nos mostre onde existe beleza e onde há escuridão. Nunca será fácil se surpreender com alguém que a gente ama, mas é importante que a gente tenha empatia por aquela pessoa, afinal, não sabemos qual batalha ela tem enfrentado, nem o que a fez mudar tão drasticamente ou o que a levou a agir daquela forma.

As pessoas vivem uma batalha diária, algumas mais difíceis, outras mais fáceis, mas todos nós vivemos a nossa. Essas batalhas transformam quem a gente é, e todos nós corremos o risco de nos perder em algum momento. Retire as suas vendas para que você possa ver quem as pessoas realmente são, isso te fará viver uma vida real, sem máscaras, ilusão ou teatros. No entanto, quando fizer isso, redobre sua empatia. São infinitas as pessoas que estão em guerra nesse exato momento, e muitas não estão vencendo. Se alguém mudou com você, tenha empatia. Filtre os sentimentos ruins e até se afaste se aquilo te afeta. Faça novas amizades, mude seu horizonte, cure as feridas que essas mudanças podem ter te causado. Só nunca deixe de respeitar as guerras internas do outro, porque na verdade, ninguém veste os calçados de ninguém para saber as lutas que o outro passa.

Isso já aconteceu com você? Compartilha sua experiência com a gente!

Espero muito que vocês gostem, um super beijo e até o próximo post!

41 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *