É preciso saber a hora de sair de cena

Ah, esse vai e vem da vida. Quem diria que no percurso da vida deixaríamos tantas pessoas para trás? Quem diria que atitudes separam com a mesma distância que um oceano frio? Vivo em uma cidade de vinte mil habitantes, construí minha infância, minha adolescência e sigo explorando minha jornada aqui, nessas ruas tão pequenas, onde todo mundo conhece todo mundo, onde ninguém deveria se separar. Em meio ao caos da rotina, encontro pessoas que construíram os momentos mais marcantes da minha história caminhando por aqui. No entanto, ao invés de transbordar felicidade, me transbordo com o fato de que hoje essas pessoas se tornaram estranhas, e que isso aconteceu por uma sequência de atitudes, que fez com que as lembranças se eternizassem, e um abismo se fizesse onde antes havia história.

Depois de algumas crises existências, lágrimas e questionamentos, entendi que cada pessoa que entra na nossa vida tem uma missão e quando aquela missão acaba, ela se vai, deixando os instantes e sua bagagem eternizadas em nós. O mesmo acontece com as situações, seja um emprego, o tempo que você morou em uma casa, tudo permanece na nossa vida até deixar sua missão, depois.. se vai. Viva de corpo e alma cada segundo, a vida é efêmera, não sabemos quando ela irá acabar, seja para nós ou para quem amamos. Viva de forma intensa, pois há muito o que descobrir no subentendido, em instantes rotineiros da nossa vida, há muitas versões da nossa própria história que a gente ainda nem conhece, no entanto, nunca esqueça que há o momento certo de sair de cena.

Todo mundo precisa sair de cena uma hora. Há pessoas que se recusam a se aposentar, agarrando-se ao serviço como algo sem o qual não se vive. Outros se aposentam, mas continuam seguindo aquela mesma rotina, perdem-se por bobeira, por simplesmente não querer desfrutar de um descanso mais do que merecido. Mal sabem o tanto de vida que existe além dos escritórios. Existem aqueles que lutam por um relacionamento que já acabou, por uma amizade que nem existe mais, buscam se preencher de sentimentos que ficaram no passado. Fazem isso porque não enxergam que no fim de todo ciclo, existe um recomeço.

Há quem não se permite desistir de nada nem ninguém. Sentem-se donos do que, na verdade, a vida nos empresta, para que aprendamos que o que é nosso de fato é apenas aquilo que guardamos dentro de nossos corações, nada mais do que isso. Pessoas e coisas saem das nossas vidas, mas a essência do que foi verdadeiro jamais se despedirá de nossas almas. O que tiver de ser, será. O que tiver que ir, vai-se. O que for para sempre, há de permanecer. É preciso saber a hora de sair de cena, no palco e na vida.

Espero muito que vocês gostem, um super beijo e até o próximo post!

38 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *