Se algo te faz mal, ignorar pode te fazer bem

Tudo aquilo que acelera seu coração, que emociona e faz você sorrir, é você. Em nenhuma circunstância, perca as suas raízes, seu rumo, nem aquilo que define quem você é. Existem situações e pessoas em nossa vida que nos desequilibram, pessoas tóxicas que contaminam e acabam nos infectando com suas energias e emoções negativas. Há muita gente se autoproclamando dona da verdade, da razão inconteste. Há muito ser soberano do universo por aí. Nunca o céu sobre nossas cabeças foi tão pequeno para o tanto de gente que se sente estrela. E no meio disso tudo, a única coisa que a gente pode fazer, as vezes, é aprender ignorar para ser feliz.

Amor próprio é saudável e necessário, visto que, caso não nos demos valor, quem mais poderá dar? No entanto, isso não significa querer ser mais do que se é, nem achar que o mundo deverá curvar à nossa inteligência e beleza, como se fosse obrigação universal todo mundo se importar com a gente. Amor próprio significa que a gente reconhece os nossos limites, os nossos valores, onde estão nossas paixões, o que queremos para nós mesmos. Significa que a gente se ama o suficiente para saber qual é o momento de se afastar, ignorar e mudar de percurso. Significa querer se conectar com aquilo que vibra na mesma frequência que a gente, que transborda, que floresce.

Ignorar certas coisas não significa que estamos ignorando absolutamente tudo, mas de vez em quando, é essencial que a gente ignore e saia de situações que não condizem com quem a gente é ou ignore opiniões que nos distancie dos nossos propósitos e valores. Os três exemplos mais comuns disso são:

  • Críticas destrutivas que são jogadas apenas para te magoar, prejudicar, humilhar sua autoestima e te impedir de crescer. Se você identificou a pessoa ou pessoas que lançam esse tipo de crítica, aprenda hoje a ignorá-las. Fortaleça a sua segurança, confie em si mesmo e não permita que isso lhe afete.

Comparações inúteis. Todos nós sabemos que comparações não servem para nada, a não ser para afetar a nossa autoestima, menosprezar quem a gente é e colocar o outro em um pedestal como se o outro fosse perfeito – coisa que ninguém é. Se alguém te comparar, ignore e fuja! Você é único e não merece comparações manipulativas.

  • As falhas erradas, aquelas que te atiram e você assume. É realmente sua culpa ou é isso que você quer acreditar? Às vezes acreditamos que somos pessoas más, insuficientes e sem valor algum, mas isso é apenas o que os outros nos fazem acreditar, com o desejo de nos manipular. Não caia nessa armadilha, livre-se de faltas faltas!

Essas são as principais coisas que devemos aprender a ignorar a partir de hoje, coisas que atormentam e que, na realidade, às vezes são o resultado de pessoas que só querem nos prejudicar. Às vezes, prestar muita atenção ao que os outros nos dizem e não saber discernir entre o que devemos ouvir ou não nos faz criar mentiras que visam nos manipular. Aprenda a confiar em si mesmo, aprenda a ouvir o seu diálogo interior. Se você conhece a si mesmo, nenhuma opinião externa poderá ajudá-lo. É hora de dizer adeus a todas essas falhas que você realmente não deveria se sentir culpado porque elas não existem. Ou aprendemos a ignorar, ou enlouquecemos ou desenvolvemos gastrite. O que você prefere?

Espero muito que vocês gostem, um super beijo e até o próximo post!

66 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *