Quantas vidas você têm?

Talvez hoje você esteja pensando em desistir, em jogar a toalha e acabar de uma vez por todas com tantos momentos decepcionantes, com tantos pensamentos negativos. Mas e se você pudesse ter uma visão de como pode ser a sua vida mais lá na frente, você ainda desistiria de continuar? E se eu te dissesse que a gente carrega mais de uma vida, que a gente pode morrer e viver na mesma, que existe sim, uma chance, um recomeço, novas alegrias e novos percursos reservados para mais tarde? Essa vida é uma correspondência das nossas emoções e escolhas e, mesmo quando não depende de nós no que diz respeito ao que vem a seguir, é a nossa conversa interior, o modo como processamos as coisas, que determina o viver da gente.

Talvez hoje esteja tudo triste e sem graça na sua rotina. Talvez você esteja passando por problemas que quase ninguém consegue entender e ajudar. Talvez todo o caminho que te trouxe até aqui seja uma piada de péssimo gosto. Talvez. Mas talvez não signifique nada disso. Muitas vezes, o ritmo da vida nos obriga a sobreviver no piloto automático, sem termos consciência de tudo que nos cerca, sem prestar atenção a esses pequenos detalhes que fazem a diferença entre viver sem motivação e viver cheios de sonhos e expectativas.

”Sabemos que qualquer coisa pode acontecer e nunca estamos preparados para nada” (Sophie Soynonov). Vivemos com sede de que algo especial aconteça, que todos os nossos sonhos se realizem, de que todos os nossos planos aconteçam. O problema é que, muitas vezes, quando os nossos desejos se realizam não estamos preparados. Acontece que muitas coisas que sonhamos e planejamos, na realidade, não é como a gente imagina. Se vivemos de fantasias, nunca estaremos preparados para enfrentar a realidade. Às vezes, esperar é como estar em um corredor infinito. Talvez Sophie Soynonov, com esta frase, esteja nos chamando para agir, enfrentar, assumir as consequências derivadas do que acontece na vida real. Afinal, como é que a gente pode se esquecer de que cada segundo que vivemos é especial?

“Somos todos amadores. A vida é tão curta que não conseguimos ser mais do que isso” (Charles Chaplin). De repente, quando nos damos conta, tudo se passou na nossa frente. Ao longo dos anos, a vida se torna curta e nunca terminamos de aprender. Portanto, pode ser mais positivo se deixar levar e aceitar as lições oferecidas pela vida.

“A vida é uma peça teatral: não importa a sua duração, mas sim como ela foi representada” (Sêneca). Qual diferença faz se você viveu nesse mundo há dez ou cem anos? O importante não é a quantidade, mas a qualidade do nosso dia a dia. De que adianta viver muito e amar pouco, ser pouco, não ser nada? Saborear a nossa existência e o que acontece ao nosso redor e em nosso interior é muito importante se quisermos aproveitar a vida. Afinal, se não aproveitarmos a vida, de que servirá nossa passagem pela terra?

“Estar preparado é importante, saber esperar é ainda mais, mas aproveitar o momento certo é a chave da vida”(Arthur Schnitzler). O trem passará, as portas se abrirão, as oportunidades aparecerão, a vida pode escapar em questão de segundos. Depende de nós explorar ou não o que nos é apresentado.

“Não há paixão mais enganosa e fanática do que o ódio” (George Gordon). Você acha que vale a pena viver odiando o tempo todo? Essa emoção pode se tornar um apetite incontrolável, difícil de satisfazer. O ódio pode nos escravizar sem que percebamos. Além disso, para que serve? O ódio nos fere, gera um vácuo afetivo que pode nos corromper. Não se esqueça disso. O perdão e o amor são poderosos, enriquecedores e nos preenche por inteiro.

”Todo mundo tenta realizar algo grande, sem perceber que a vida é feita de pequenas coisas”. (Frank Clark). Palavras, o tempo que as outras pessoas nos dedicam, a oportunidade de estarmos vivos, a beleza da natureza.. abra os olhos e o coração para observar tudo ao seu redor.

A vida importa e ela é inteira em você, mesmo com várias metades e interrupções por aí. Ainda é amor reaprender a caminhar. Ainda é amor querer uma nova vida a partir do ontem que já teve o seu limite de desgaste. Eu te pergunto: quantas vidas você têm? Descubra vivendo um amanhã de cada vez.

Espero muito que vocês gostem, um super beijo e até o próximo post!

76 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *