Você não é o problema, o problema é sua autoestima

Olhe-se no espelho por alguns minutos e responda: qual a avaliação que você faz de si mesma? Se você qualificar mais defeitos do que qualidades, é um sinal que sua autoestima pode estar estremecida. O jeito como você se vê pode influenciar o modo como você vive a sua vida. A autoestima é o valor que damos a nós mesmos e é baseada na forma como nos vemos. Ou seja, é uma opinião que formamos ao nosso respeito, não um fato em si. Uma pessoa que tem uma boa autoestima, é capaz de reconhecer seu próprio valor, identificar seu lugar no mundo e sentir-se amada e aceita pelos outros. Já as pessoas com problemas na autoestima tendem a sentir que ninguém gosta delas, que não são aceitas pelos outros e que não conseguem fazer nada direito. Desta forma, a forma como nos vemos influencia diretamente nossa capacidade de lidar com a vida e de sermos felizes.

Por que tenho uma autoestima baixa?

Em nossa vida enfrentaremos experiências, dificuldades e guerras internas que permitirão que a gente aprenda e avance. No entanto, às vezes, alcançamos o efeito contrário. Sem perceber, nos tornamos pessoas cinzentas, carentes de motivação e com uma clara falta de autoconfiança e segurança em nós mesmos. A razão pela qual você pode estar passando por isso é porque não se aceita como é, você busca a perfeição e não admite seus erros. Sendo que eles podem lhe ajudar a seguir em frente se os enxergar com uma outra perspectiva. 

Também, pode ser que você busque constantemente a aprovação das pessoas, isso faz com que sua motivação e sua felicidade se encontrem nas mãos dos outros. Além disso, é possível que você caia em algumas ocasiões nas terríveis comparações que não fazem mais do que lhe causar dano. No entanto, às vezes, não podemos escolher. Muitas vezes a falta de autoestima não é uma escolha nossa, em alguns casos, ela vêm de experiências que nos submetemos de forma involuntária.

Ter passado a infância em uma família desestruturada ou com pais pouco afetuosos pode ser um fator desencadeante. Casos de bullying na escola, também podem gerar graves problemas, como a falta de confiança e segurança. Expectativas muito elevadas por parte dos pais ou uma superproteção, também podem fazer com que sua autoestima se veja afetada no futuro. Como você pode observar, o que ocorre nos seus primeiros anos de vida repercutirá em seu futuro. Porém, existe alguma forma de modificar isso?

Se você se identificou com os tópicos citados, a melhor forma é procurar ajuda especializada, como a de um psicólogo, por exemplo. No entanto, algumas atitudes simples podem ajudar no seu equilíbrio emocional:

  • Compreenda seu histórico de vida, por qual motivo você se sente inferior? Não desista, compreenda suas dificuldades e procure enfrentar cada uma delas. Para isso, faça uso de outras ferramentas para olhar a situação. Se você está acostumado a se sentir inferior é porque seu cérebro já anda nessa direção. Identifique esse percurso e procure analisa-lo por outros ângulos. Descubra dentro de você o porquê das coisas, vasculhe sua infância e entenda que só você tem o poder de fazer diferente.

Enfrente seus medos, é essencial que você saiba lidar e enfrentar o medo que as pessoas ou situações provocam e compreender que a percepção de si mesmo está baseada na conseqüência de fatos que já passaram. Você não pode mudar seu passado, mas pode mudar seu presente para alcançar o futuro que almeja.

  • Reconheça seu valor, perceba que seu valor enquanto pessoa não pode e nem deve ser baseado na maneira como foi, ou ainda é tratado, ainda que isso tenha durado toda sua vida. Não permita mais ser desrespeitado, maltratado e não aceite menos do que você precisa, menos do que você pode e merece. Lembre-se ainda que seu valor deve ser baseado pelo que é e não pelos bens materiais que possui. Imagine o que quer ser. E faça ser.

Identifique suas necessidades emocionais. O que você espera receber dos outros pode ser aquilo que não recebeu quando criança de seus pais. Não espere receber dos outros o que só você mesmo pode se dar.

Lidar com as pessoas, com as adversidades, não é fácil e sua autoestima sempre será a primeira a ser afetada. Porém, isso não significa que você não possa amadurecer e crescer com isso. Quando nossa baixa autoestima se converte em uma oportunidade, podemos nos conhecer melhor, aceitar o que sentimos e tirar forças de onde acreditamos que não temos. Pense que, às vezes para podermos subir temos que descer, e é isso mesmo o que ocorre com sua autoestima. Ela colocará a prova sua resistência para que você se converta na melhor versão de si mesmo. No entanto, a verdadeira solução se encontra em nos amarmos e valorizarmos a nós mesmos. Nossas ações e como enfrentamos nosso dia-a-dia refletem como somos. Abra os olhos e comece a cuidar de sua autoestima. Quando assim o fizer você descobrirá que será muito mais feliz.

Espero muito que vocês gostem, um super beijo e até o próximo post!

54 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *