É o fim de um ciclo, não da jornada inteira

É hora de fechar um ciclo. Olhar carinhosamente para cicatrizes que demoraram a ser o que são. Observar em silêncio o que se desfaz. Saber receber com leveza o que chega. Essa vida é cheia de ciclos que começam e terminam, de modo que ainda viveremos inúmeros princípios e finais. Como qualquer final, um final é só outro começo, uma oportunidade para se abrir ao novo, ao desconhecido. Nada mais.. e, ao mesmo tempo, tudo isso.

Tem um ano novo ali em frente esperando por você, e eu tenho uma porção de votos para nós. Em poucos dias estaremos observando o ponteiro do relógio marcar meia-noite, será dia 31 e, se não corrermos o prazo acaba e a mágica se perde. Primeiro, desejo a você e a mim um pouco mais de leveza. Aliás, um pouco não. Desejo que no ano novo ali em frente a vida seja muito mais leve para nós. Não estou pedindo menos compromissos, trabalhos ou prazos mais brandos. Nada disso. Eu só quero que o fardo desnecessário que insistimos em carregar e as picuinhas que grudam na nossa vida sejam deixados no ciclo que se passou. Livres de tantas intrigas, de tantos fardos e tantas bobagens, você e eu seremos simplesmente mais leves e soltos em nosso percurso no ano novo ali em frente.

Que nesse novo percurso sobrem trabalho e saúde, amor e amigos. Que o solzinho manso do sábado de manhã e o vento amoroso do domingo à tarde escorreguem gentis para o resto da semana. Para que isso aconteça, peço que você reflita sobre o que foi bom, o que te arrancou suspiros, o que te fez sorrir e deixou sua alma em paz. Peço que jogue no mar do esquecimento as dores, as ilusões e que você nunca volte para pesca-los de volta. E se você ainda não falou com Deus é hora de sentar e conversar com ele, ninguém conhece mais a tua jornada como Ele.

Traga a sua memória apenas aquilo pelo qual você é grato. Eu sei que tem algo para agradecer, talvez não seja muita coisa, mas eu sei que existiu em algum momento luz no meio da escuridão, brisa leve para levar embora a tempestade e paz para trazer fim a alguma guerra interna. Lembre-se do que você aprendeu, daquilo que você sempre quis fazer e antes não conseguia. Pense nos lugares por onde passou e nas pessoas novas que conheceu. O mundo é tão vasto e é uma chance incrível você ter topado com algumas pessoas, provavelmente, você não seria o mesmo se não as tivesse conhecido.

Imagino que possa ser mais fácil se agarrar ao que doeu, as quedas que levou, as portas que foram fechadas, as pessoas que te prometeram algo e não cumpriram, mas não é tempo para se apegar a nada disso. Agora é o momento de reflexão e recomeço. É tempo de perdoar a si mesmo e perdoar aos outros. É se permitir começar do zero se preciso for. É não deixar que términos definem o resto da sua vida, mas dizer a si mesmo que você merece uma nova chance e que irá tentar ser a melhor versão da pessoa que gostaria de ser. Por fim, peço que deixe as feridas serem curadas, que permite o amor adentrar novamente na sua vida e o deixe aí morar. Você tem tanto ainda para conquistar e seria uma pena te ver preso ao passado que não consegue esquecer. Abrace o novo, se permita sonhar de novo e haja com sabedoria rumo à felicidade. Vá sem medo, pois se cair haverá os braços de Deus para te segurar.

Ei, quero te ver naquele novo ano que está bem ali em frente, viu? O Minuto de Bobeira estará em recesso nesse fim de ano, mas voltaremos no dia 07 de Janeiro!

Espero que vocês possam se lembrar que a virada do ano não muda nada, quem muda é você. O ano ainda não terminou e você pode fazer muitas coisas diferentes hoje, aproveite seu tempo para se libertar do que te prende, e agradecer pelas coisas boas ao seu redor. Faça o possível para começar esse novo ciclo com leveza, com gratidão e com muita fé.

Espero muito que vocês gostem, um super beijo e até o próximo post!

155 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *