Diga-me o que você é, uma lagarta ou uma borboleta?

O que você é? Uma lagarta ou uma borboleta? Alguém que destrói ou alguém que edifica? Durante nossa vida, algumas pessoas farão moradia em nós, enquanto outras, virão apenas para nós mostrar exemplos de como não ser. As pessoas que eu admiro cabem nos dedos de uma mão, ainda que não se deem conta, elas fazem de mim uma pessoa melhor, tornam o meu mundo um lugar melhor. Elas estão longes de serem perfeitas e é isso que me faz aprecia-las ainda mais, apesar de cometer falhas como todo mundo, elas possuem um dom especial, que é o de saber tocar a minha alma. Existem milhares dessas pessoas no mundo, talvez você seja uma delas, talvez você seja essa referência a outros, não por ser perfeita, mas por saber oferecer o refúgio, a compreensão e o afeto que o outro precisa. Quem tem uma pessoa assim ao seu redor, sabe bem o que é receber afago na alma, o que é ter em alguém o abrigo para as horas em que o mundo se torna mais hostil do que já é.

Entretanto, da mesma forma que existem pessoas que ainda que não digam uma única palavra conseguem cativar outras pessoas, apenas com as suas atitudes ou com seu sorriso, existem as que tem o ”estranho dom” de afastar outras pessoas. É como se fosse um imã partido quando tentamos juntar os polos, os pedaços na mesma peça. Elas estão sempre carregando em si algo negativo. Por isso, me atrevi citar o exemplo das lagartas e das borboletas. Enquanto as lagartas destroem as plantas, aquelas mais viçosas, a borboleta, com sua beleza admirável, transmite vida ao contribuir com a polinização.

No entanto, apesar do seu papel importante como agentes polinizadores, esse não é o real motivo de admirarmos as borboletas, elas encantam por carregar consigo um colorido diversificado, que serve como um documento de identidade. É interessante observar que apenas os pesquisadores querem ter contato com lagartas, considerando o fato de algumas serem tóxicas. Por outro lado, qualquer pessoa, mesmo quando não se interessa em tocar, quer ao mesmo admirar a beleza da borboleta, com curiosidade. E tudo isso devido a uma metamorfose.

Todo mundo deveria passar por esse processo de metamorfose, enfrentar uma transformação que mudasse o exterior e o interior. Pessoas que são como lagartas são tóxicas, quando aparecem, muitos sentem vontade de saírem do recinto. Mas, quem é borboleta, contagia o recinto. Então, para muitos, esses pequenos seres são a representação daquilo que existe no interior das pessoas com as quais convivemos. Trazendo influência positiva ou negativa ao local onde estão. Trazendo cheiro de vida ou não, dependendo do modo de ser e agir de cada uma delas, individualmente. Muitas pessoas se esquecem de que a borboleta e a lagarta são o mesmo ser. Elas se diferem apenas por um ciclo da vida, e que para acontecer a metamorfose, a lagarta precisa se trancar num casulo. Então devemos parar de hostilizar as pessoas enquanto estão trancadas nos seu mundo, pode ser que depois de recebem ajuda, elas se transformem numa linda borboleta.

Quando entendemos que mudar é preciso tudo fica mais leve, mais bonito, inclusive o processo de metamorfose a que nos submetemos ainda que doa, ainda que sofra, ainda que assuste. Quer coisa mais bonita do que a borboleta que deixa de rastejar para levar leveza e esperança pelos ares? Viva a vida sem medo de virar borboleta e sem receio de deixar o que não transforma para trás é uma forma justa de amor com a gente mesmo. Metamorfosear-se é uma forma nobre de amar aqueles que nos rodeiam e merecem o que de melhor podemos ser.​

Espero muito que vocês gostem, um super beijo e até o próximo post!

48 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *