Um término não é o fim do mundo

Sabe por que terminar um relacionamento deixa as pessoas tão inconformadas? Porque elas sentem que conquistaram o mundo quando encontraram alguém e se apaixonaram, e criaram histórias, rotinas, sonhos e os realizaram. Ela comprou uma camiseta porque ele gostava, ele viajou para o nordeste porque ela queria. Eles se tornaram donos de um mundo que criaram juntos. Estaria mentindo se eu dissesse que a maioria dos relacionamentos são eternos. Quantas vezes alguém encontrou outro alguém e achou que a história seria para sempre, mas acabou no meio do caminho? Isso acontece o tempo todo. Mas um término não é o fim do mundo, ele pode ter levado muitas coisas embora, porém, ainda resta você. Despedaçada e dilacerada, na maioria das vezes, mas ainda é você que resta. Um ciclo que fazia parte de você se tornou uma memória, e sei o quanto você se sente perdida, indefinida, paralisada, isso porque você criou um mundo compartilhado e perdeu-se de você, mas você pode se reencontrar.

A vida, antes colorida e cheia de afeto, parece o mesmo vai e vem de pessoas correndo sem parar. Os problemas que antes eram resolvidos com a ajuda do outro, que te fazia enxergar tudo de forma mais calma e leve, agora insistem em cair com o dobro do peso sobre a sua cabeça. Você não sabe o que fazer com eles, com a oferta de uma vida solteira, com a pressão de ter que estar bem e com a necessidade de seguir. O fardo é mais pesado do que você pode carregar. Quando não existe amor, ainda restam o apego, o anseio pela companhia, o medo de estar só. Agora, quando o amor ainda se faz presente, chega a doer fisicamente. É um vazio que dói e que pesa. E na busca de preencher o buraco que ficou recorre-se aos amigos, a comida, a horas de sono, a baladas. Exageros costumam acontecem nessa fase e, por incrível que pareça, ao invés de preencher, acabam por esvaziar ainda mais.

Você esquece do que de fato restou: você. É preciso voltar os olhares para o que realmente importa. O término é só um período que duas pessoas precisam atravessar quando as coisas não vão bem, quando os planos não deram certo, quando as apostas que fizeram estavam erradas, e ali acaba, o enredo. Porque somos personagens, criando a nossa própria biografia, e ali acaba um capítulo, mas a história da vida continua. Ela não se resume a uma pessoa específica, ela é unicamente sua. É você com seus pais, com seus amigos, com seu cachorro, com seus amores, com seus filhos e com o mundo. E o que você pode fazer é agradecer por ter acontecido, por ter aprendido, por saber que tem lembranças incríveis, que teve momentos maravilhosos, que experimentou o amor uma vez, porque tem gente que nem isso teve. Então mesmo perdendo, você já ganhou.

E o que você pode fazer é reinventar-se, porque chorar não adianta, porque beber não traz a pessoa de volta, porque ficar com raiva e destilar todo o seu ódio pela internet não recupera o seu orgulho ferido. Você precisa perceber que este momento é só a vida te dando uma chance. Uma chance de fazer um novo caminho, de mudar, de fazer algo diferente, de acertar mais com os que ficam, de errar menos com os que virão. Uma nova chance de ser feliz de verdade, porque ninguém termina uma relação no auge da felicidade, ninguém termina quando duas pessoas se amam acima de tudo, ninguém termina quando as coisas vão perfeitamente bem.

Um término é sempre um novo começo. E você não precisa ter medo do futuro, do amor que se vai, porque o amor sempre volta. Em outras formas, em outros rostos e em outros tempos. O amor não é o problema, o mundo não acaba por isso. O mundo, na verdade, é o que ficou. E está inteiramente disponível para você conquistá-lo novamente. Desta vez, do seu jeitinho particular.

Ei, conta para nós: você já teve um termino difícil? O que te ajudou naquele momento?

Espero muito que vocês gostem, um super beijo e até o próximo post!

32 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *