Não tenha medo de perder o que não era para ser

Quantas relações você já sustentou por comodismo? Quantas situações você já aceitou por medo de ficar sozinha? Quando estava na terceira série conheci minha melhor amiga, nossa amizade perdurou até o segundo colegial, até que o vínculo se rompeu. Sempre fiz amizade rápido, mas não entendia porque elas se acabavam com a mesma frequência, até que percebi que quem eu chamava de melhor amiga criava uma imagem de mim totalmente diferente do que eu era para que as pessoas não quisessem permanecer por perto, dessa forma, nunca me afastaria dela, afinal, ela sempre estaria ali, sendo minha única amiga. Percebi isso na oitava série, mas não tive coragem de me afastar, já que sem ela ficaria sozinha. E quando finalmente o laço se rompeu foi como se tivesse tirado mil quilos dos meus ombros. Desde então, nunca mais maquiei nenhuma relação. Cansei de maquiar o quão tóxica as relações são com as mais sofisticadas sombras, camadas e corretivos. Cansei de me auto enganar: ”isso é temporário”, ”certamente vai mudar”, ”amanhã direi o que penso e darei um fim a essa situação”. Nós esquecemos, de alguma forma, que os fins são tão necessários quanto os começos.

Eu sei que temos medo e dificuldade em deixar ir. Eu sei que precisamos estar em sintonia com nossa própria vida, com a alma serena para ouvir e sentir as energias que existem ao nosso redor. Porque existe muita gente brilhando também. O mundo é um mar de fogueirinhas. E em uma relação onde se tem medo de perder o que não é para ser, ninguém sai ganhando, nem quem absorve o melhor de você e te deixa aos cacos. Essa pessoa também não ganha nada. Você vai abraçar quem está mergulhando na solidão, não vai se salvar, nem salvar o outro. O seu amor por ela não é suficiente para isso. Dos poços, já bastam o que habitam em nós. Já temos o nosso próprio lixo tóxico para cuidar, reciclar e eliminar. Às vezes, encerrar uma relação que não é para ser é apenas uma questão de sobrevivência. Ou o último ato de amor.

Pessoas vêm e vão, estamos constantemente dizendo adeus para alguns e bem-vindos a outros, esse é o fluxo, e o fato é, as pessoas certas sempre ficarão. Se você se permitir sentir a vida através de um espírito de positividade e aceitação inteligente, você vai aproveitar todos os momentos, sejam eles de prazer ou de pressão e, indiscutivelmente, será uma pessoa mais sábia e feliz. Lembre-se que nossos maiores inimigos não estão lá fora, eles vivem todos na nossa mente: o ego, a raiva, a ganância e o ódio. Então, não seja orgulhoso. Aceite as coisas como elas são, deixe ir o que já foi, o que já passou, e tenha fé no que está por vir.

— O mundo é isso — revelou — Um montão de gente, um mar de fogueirinhas. Cada pessoa brilha com luz própria entre todas as outras. Não existem duas fogueiras iguais. Existem fogueiras grandes e fogueiras pequenas e fogueiras de todas as cores. Existe gente de fogo sereno, que nem percebe o vento, e gente de fogo louco, que enche o ar de chispas. Alguns fogos, fogos bobos, não alumiam nem queimam; mas outros incendeiam a vida com tamanha vontade que é impossível olhar para eles sem pestanejar, e quem chegar perto pega fogo.  (Eduardo Galeano)

Recuse-se a afundar, abandone o barco, se for preciso, mas não desista nunca de você. Lembre-se de que novos começos, às vezes, chegam disfarçados de finais dolorosos. Ninguém além de você está no controle da sua vida, então ajuste as velas, use seu coração como bússola e navegue rumo à sua felicidade.

Compartilha com a gente: você já sustentou alguma relação por medo? Como foi?

Espero muito que vocês gostem, um super beijo e até o próximo post!

86 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *