É como se a gente não pudesse viver na segunda-feira

Segunda-feira mal amanhecia e já se pensava no final daquela semana. Esperava o fim da aula, esperava o fim do trânsito, esperava o fim da monotonia. Segunda-feira era dia de acordar cedo, de enrolar para sair da cama, ir para o trabalho e repetir metodicamente a rotina habitual. Segunda-feira era de espera. Segunda-feira era início de dieta. Começo de uma série de restrições alimentares e habituais. No fim do domingo, a agonia da pré segunda-feira se iniciava, a ansiedade pelo momento menos desejado da semana. Segunda-feira era de depressão pós fim de semana, dia melancólico em que se lembra da boa vida dos breves descansos. Então ocorreu uma segunda-feira diferente.

Seguimos uma lista pré moldada na segunda-feira: não ir ao rodízio de pizza, não usar a roupa nova para ir à faculdade, não curar o choro com um sorriso, não dar bom dia no elevador, não fazer vários nadas durante a semana, não tomar banho de chuva, não se afogar em um abraço. Quem infiltrou em nossas mentes que não devemos viver nas segundas estava totalmente desacertado, toda segunda-feira têm sua beleza, a gente que insiste em não ver.

Segunda-feira é dia de esperar mensagem. É hora de saber se aquele encontro também foi bom para o outro. Segunda-feira é a continuação de uma noite de domingo. Uma noite mal dormida e bem aproveitada. Segunda-feira é ir para a faculdade/trabalho, com sorriso no rosto e resquício de cansaço misturado com vigor. Segunda-feira é dia de começo, e far-se-á tudo igual em todas as segundas-feiras seguintes, com o maior desejo do mundo…

…de toda segunda-feira ser igual.

Minha existência é curta demais para viver apenas aos sábados, para visitar meus pais somente aos domingos e sair com os meus amigos apenas na sexta-feira. Minha semana não possui apenas três dias. Segunda também é dia de receber flores, dançar como se não houvesse amanhã e amar intensamente. Apesar do clichê, a vida não espera você decidir. De repente, as coisas se atropelam e, como num passe de mágica, se passou um dia, um mês, um ano e você ainda espera a melhor ocasião, o momento certo, o dia especial.

E de tanto esperar, acaba não vivendo. E quando você perceber vai sentir saudades do que não viveu, vai querer voltar e escrever um passado diferente. Um passado em que o presente tenha sido aproveitado. Sentirá saudade do que não foi feito na segunda-feira, na terça-feira ou na quarta-feira. Então faça. Viva intensamente cada minuto. A vida é muito curta para você esperar que ela encurte. Aprenda a prolongá-la, seja em dois ou em cem anos.

Espero muito que vocês gostem, um super beijo e até o próximo post!

57 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *