A incrível geração de fotos sorridentes e travesseiros encharcados

Sua vida nunca será tão perfeita como a que sua blogueira preferida mostra no feed do Instagram, porque vida perfeita não existe. Suas fotos não são iguais as daquela atriz que você ama. Seus stories não são tão movimentados. Porque todos aqueles feeds que você segue, curte e assiste são criados apenas com os instantes felizes da vida. As redes sociais ocultam os problemas financeiros, a casa desarrumada, o corte de cabelo que não deu certo, a briga com o namorado, as inseguranças, a sensação de que tudo que você faz não é suficiente ou o dia ruim. Um céu limpo ganha estrelas, as imperfeições são apagadas no photoshop, as fotos são realçadas com infinitos efeitos. As vidas ficam perfeitas, o feed impecável, mas a vida continua vazia daquilo que não conseguimos substituir: a aceitação.

É ilusão acreditar que a felicidade é mais constante e certa para aqueles com o feed de notícias mais farto de viagens, convites, curtidas ou popularidade. É engano imaginar que a importância ou o valor de alguém pode ser medido pelo termômetro das curtidas ou descurtidas. Talvez tentemos, nas redes sociais curar feridas antigas de momentos da nossa história de vida nos quais nos sentimos excluídos ou sós. De repente podemos nos sentir populares, amados, queridos, parabenizados no nosso aniversário por mais de 300 “amigos”. Passamos a viver as relações de forma superficial, um pé aqui e o outro já pensando em um lugar que possa ser melhor, andando sempre no raso.

Sem paciência ou vontade de grandes mergulhos, quando um relacionamento parece começar a querer se aprofundar e exigir mais de nós, simplesmente apertamos um botão, e que venha o próximo. E o próximo. E o próximo… De superficialidade em superficialidade, vamos conduzindo nossa vida em busca da vida perfeita, do ângulo ideal e do feed impecável.

Alguns permanecerão sempre na superfície, pulando ondas, fugindo de seu vazio existencial, trocando de relacionamento a cada obstáculo, acreditando ingenuamente que um dia encontrarão um diamante bem a seus pés, sem que tenham que lutar por ele. Outros, os corajosos, os heróis, escaparão da sedução da superficialidade e terão a coragem de se aprofundar. Abrirão mão das falsas infinitas escolhas e escolherão mergulhar em um relacionamento de verdade, e farão o que for necessário, enfrentarão monstros e dragões. Lutarão pelos seus sonhos. Eles deixaram a foto perfeita para trás para se entregar as simplicidades da vida. Esses sim, preencherão o vazio com a luz da sua própria alma.

Ninguém é cem por centro bem resolvido. Ninguém fica impecável vinte e quatro horas por dia. Corpo perfeito não existe. Relacionamentos perfeitos não existe. Pessoas perfeitas não existem. Em um momento ou outro, cada um de nós enfrenta suas próprias batalhas, seus próprios monstros e fantasmas. Acreditar que é possível viver sem tédio, contrariedade, aborrecimento e insatisfação produz ainda mais descontentamento, e gera indivíduos ressentidos com a realidade e incapazes de enfrentar frustrações.

Há muitas coisas boas por trás desta nova comunicação humana, e há outras que não são tão boas assim. O pior das redes sociais pode ser que nos desconectamos de nós mesmos, que a nossa história seja contada por falsos instantes e não por experiências verdadeiras, que são as que dão o verdadeiro valor as nossas lembranças. Não permita que sua realidade suma, enquanto você busca a realidade ilusória do feed do Instagram do outro.

Espero muito que vocês gostem, um super beijo e até o próximo post!

49 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *