10 dicas para a introdução alimentar do seu bebê

O tic tac do relógio não cessa, os dias se iniciam e logo chegam ao fim, o tempo voa. Sem que a gente perceba, as crianças crescem. Mas não crescem todos os dias, de igual maneira: crescem, de repente. Um dia seu filho sentará ao seu lado e dirá uma frase de tamanha maturidade que você se questionará: cadê aquele cheirinho de leite sobre a pele? Cadê a pazinha de brincar na areia, os primeiros sapatinhos e aquela naninha que ele não vivia sem? Há um período em que os pais vão ficando órfãos dos próprios filhos, eles cresceram sem que esgotássemos neles todo o nosso afeto. E você sentirá falta e pensará que poderia ter ido mais vezes a cama dele ao anoitecer, que as brincadeiras poderiam ter sido mais longas e que as noites em claro não eram tão cansativas como você pensava, você pensa que poderia ter feito mais. Por isso, é necessário fazer alguma coisa a mais, antes que elas cresçam.

Uma boa introdução alimentar é fundamental para que, no futuro, o pequeno desenvolva uma alimentação mais equilibrada e saudável. Por esse motivo, o período de amamentação pode ser também um momento para toda a família refletir sobre seus hábitos alimentares e se informar, para se preparar para os primeiros passos da introdução alimentar do pequeno. Paciência e persistência são a chave da introdução alimentar para bebês, por isso, selecionei alguns conselhos que podem ser essenciais para você que entrará ou estava vivenciando essa fase:

Ofereça a maior variedade de alimentos naturais possível para seu bebê, principalmente de frutas e verduras, mesmo aqueles alimentos que não são comuns ao consumo da família. Apresentação e sabores são importantes. E se seu bebê não aceitar um alimento não desista. Tente apresenta-lo novamente em diferentes preparações: se ele não gosta de banana, prepare-a com aveia, no bolo de banana ou até como banana chips.

Ninguém quer comer todo dia comida com a mesma cor e textura não é mesmo? Os bebês não são diferentes. Mude a apresentação, não misture os sabores e aromas, deixe ele conhecer um por um e não esconda um alimento em outro. 

Não se preocupe em salgar os alimentos, bebês não conhecem e nem precisam viciar nesses sabores como nós. O sal deve ser evitado no primeiro ano de vida. A recomendação é que a criança consuma 350mg de sódio por dia. Os alimentos já tem quantidade de sódio suficiente para atingir este limite. Se quiser adicionar algum tempero na comida do seu bebê opte por ervas básicas e leves, como o alecrim, o coentro e o tomilho.

Disponha de algum tempo e paciência para as principais refeições com a criança, esse momento deve ser agradável. Permita que seu filho pegue, amasse, cheire, prove e crie uma intimidade com o alimento. Você pode usar alguns utensílios que irão te auxiliar e tornará esse momento ainda mais especial, como um prato, talher ou copo do personagem favorito dele e babadores para evitar que a bagunça fique ainda maior. Na loja Meu Amorzinho você encontra modelos diversificados, com diferentes funções e que além de auxiliar a mamãe, cria uma distração positiva para a criança, ao contrário dos celulares e tablets.

Quando iniciada a introdução alimentar, é preciso oferecer água a criança ao longo da refeição. Se ela não tiver vontade de bebê-la, deixe um copo cheio com o líquido sempre à mostra para ele matar a sede e adequar a hidratação ao nível da amamentação.

Não determine a quantidade de alimento ao bebê, cada organismo é de um jeito e o melhor é testar o quanto o seu bebê está disposto a se alimentar. A criança determina a quantidade que ela quer comer. Os pais, a qualidade do alimento.

Bebês menores de 2 anos não podem e não devem comer açúcar, de jeito nenhum. Também não precisam de  corantes e aditivos presentes nos industrializados em geral (sucos de caixinha, iogurtes industrializados, biscoitos, chocolates, refrigerantes, sorvetes, achocolatados, farinhas de mingau, salsicha). Aprenda a ler rótulos e excluir tudo isso da vida do seu bebê. São alimentos sem nutrientes, que atrapalham a construção do paladar, promovem uma falsa sensação de saciedade e ainda atrapalham a absorção dos nutrientes. A maioria tem a errada sensação de que são coisas de crianças e que elas precisam comer isso na infância, mas criança precisa mesmo é de nutrientes para atingir o melhor desenvolvimento físico e intelectual. Aproveite enquanto seu filho não sabe pedir e abuse dos alimentos naturais.

Esses são apenas alguns conselhos para a introdução alimentar do seu filho, mas lembre-se que nenhum deles é regra, por isso é importante ter o acompanhamento de um nutricionista especializado no assunto para tratar de todas as individualidades do seu filho e da sua família.

Compartilha com a gente se você já é mamãe: qual era o alimento favorito do seu filho?

Espero muito que vocês gostem, um super beijo e até o próximo post!

54 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *