Como perdi 3kg em duas semanas sem deixar de comer o que gosto?

Não é fácil sorrir para o mundo quando se carrega um vazio dentro de si. Não é fácil seguir em frente quando olhamos para a própria vida e não sentimos orgulho da pessoa que somos, olhar para a própria história e ter a sensação de não ter construído nada de interessante, olhar-se no espelho e não gostar da imagem que vê. Não é fácil se amar quando você não se encaixa nos padrões impostos pela sociedade. Não é fácil viver por inteiro, não é simples amar quem somos, não é fácil entender que somos especiais por sermos exatamente assim: diferentes, de tudo e todos. Mas essa é a chave para a nossa felicidade e, para alcança-la é preciso olhar para dentro de si e buscar a nossa resiliência, se priorizar, se dar importância e curar tudo aquilo que machuca. De nada adianta dar tudo de si aos outros, se você se esquece de si mesmo. Cuide-se, porque, se não o fizer, ninguém mais o fará por você.

Os números da balança se movimentavam, mas nunca me fizeram odiar o que via no espelho. Sou dona de um metabolismo lento e obcecada por tudo que é uma explosão de gordura. Olhar para o espelho e gostar do que a gente vê é um up que precisamos para viver bem e com confiança. Sempre gostei de me cuidar mas, nunca fui radical comigo mesma, se visse uma nova estria, uma nova dobrinha ou caso precisasse me agachar mil vezes para uma calça entrar, tudo bem, não me incomodava. O que me afeta é a fadiga, a dificuldade para respirar, aquela sensação de cansaço e a compulsão por comida, como se só pudesse ser feliz com uma barra de chocolate.

Em 2012, meus pais abriram uma lanchonete e todos os dias comíamos o que fazíamos: um dia x salada, no outro uma pizza, no outro uma porção de batata frita. O resultado não poderia ser diferente: engordei sete quilos. Como minha irmã tinha os mesmos hábitos que eu, ela também decidiu que queria emagrecer, fizemos reeducação alimentar e academia por três meses, eliminei tudo que havia ganhado e consegui pesar 58 quilos. Mas, comecei a namorar e sair todos os finais de semana em uma cidade onde só tem lugares para comer é esquecer a balança ou não sair. Depois do casamento os hábitos só pioraram, a descoberta das facilidades das comidas congeladas e de pedir comida fora são tentadoras, tanto que me presentearam com 12 quilos.

Decidi voltar para a reeducação no meio de Maio, porém de uma forma mais leve, respeitando os limites do meu corpo e o que gosto de comer. Se cortasse tudo de uma vez, poderia obter um resultado mais significativo, mas talvez desistisse na segunda semana. Lembrando que antes de fazer qualquer mudança ou aderir a qualquer dieta ou reeducação alimentar vocês precisam buscar um profissional que lhe oriente e lhe diga o que é melhor para você. O que funciona para o meu corpo pode não funcionar para o seu e vice versa. Substitui hábitos simples nas minhas alimentações, com o que fazia parte do cardápio da minha casa, com o que gostamos de consumir e isso me fez perder três quilos em duas semanas. O que mudei?

  • De todas as refeições do meu dia só não consigo ficar sem carboidrato em uma: no café da manhã. Então, ao invés de consumir o pão francês, pão de queijo ou o pão de forma, optei por consumir torradas integrais ou pão de forma integral com requeijão light ou creme de ricota.

Na hora do almoço e do jantar, não sinto falta do carboidrato então não o consumo. Minha refeição sempre se resume em uma proteína: ovos, carne vermelha ou carne branca, e salada.

  • O período da tarde é o mais tentador para mim, como trabalho em casa é difícil não querer aquele doce após o almoço ou atacar o armário no fim da tarde. Então, tento sempre ter no armário uma opção de doce saudável para matar minha vontade, como barrinhas de cereais, cookies integrais, barra de chocolate amargo 40% ou 60% ou o doce de leite orgânico com caramelo e frutas.

  • Na parte da noite é o meu maior desafio, como não gosto de comer comida, aquela vontade de ligar e pedir uma pizza, uma esfiha ou um lanche me consome. Então, procuro sempre ter uma opção que cesse esses desejos: panquecas rápidas farinha de trigo integral, recheadas com carne ou frango, torrada com shitakinho ou uma massa orgânica com molho de tomate orgânico, são excelentes opções, ou consumir o mesmo do almoço: uma proteína e salada.

Quando entendi que não precisava viver sem comer o que gosto, manter uma alimentação equilibrada se tornou inspiração e não um sacrifício. Saiba que: 

  • Não é errado comer sua pizza, seu hambúrguer ou uma barra de chocolate quando você tiver vontade, errado é comer errado em todas as refeições e não ter equilíbrio.

Um prato de salada não te fará mais magra e uma pizza não te fará mais gorda. Não somos feitos de uma única refeição.

  • Cada pessoa tem uma necessidade e nem sempre o que funciona para uma, pode funcionar para a outra. Respeite os seus limites, respeite as vontades do seu corpo e procure sempre um profissional.

  • Existe muitas opções integrais, orgânicas ou light que não são saborosas e você pode ter se deparado com algumas delas e ter ficado com receio de experimentar outras opções. Mas, saiba que tem muitos produtos deliciosos, que superam aqueles cheios de sódio, gorduras e açúcar. Você só precisa estar aberto para procurar e degusta-los.

Quando você for ao mercado tente substituir tudo aquilo que você consome no dia a dia por algo mais saudável, por exemplo, o pão de forma pelo pão de forma integral, um danete por um iorgute, uma bolacha recheada por um cookie. Tente não comprar bobeiras durante a semana e se permita aquilo que você está com vontade no fim de semana. Quando você abre o armário e se depara com opções mais saudáveis é mais fácil seguir uma reeducação alimentar do que abrir o armário e ver um pote de nutella ao lado de uma torrada integral.

  • Lembre-se: não é porque você comeu um cachorro quente no jantar, que você precisa errar em todas as refeições.

Uma das coisas mais importantes: se hidrate, tome no mínimo 2 litros de água por dia.

  • Não permita que as desculpas te impeçam, minha maior desculpa era não encontrar opções saudáveis por preços viáveis na minha cidade. Então, fui em busca de outras formas de os adquirir e encontrei a Raiz Nativa, uma loja de produtos orgânicos e naturais. Todos os produtos que foram apresentados neste post podem ser encontrados lá por um preço que não ultrapassa nosso orçamento e que promove uma qualidade de vida muito mais significativa para nós, e com um brinde extraordinário: aquela gratidão ao ver a imagem refletida no espelho.

Esse foi meu resultado após aderir a essas pequenas mudanças em meus hábitos alimentares, me permitindo comer aquilo que desejo, mas com equilíbrio. Lembrando que minha meta é chegar aos 64kg e minha altura é 1,65.

Que cada pessoa possa pensar sobre essa questão, compreendendo que, viver de forma satisfatória é algo muito além de apenas existir. 

Compartilha com a gente: você se sente limitada por conta do seu peso? Quantos quilos você gostaria de perder?

Espero muito que vocês gostem, um super beijo e até o próximo post!

62 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *