Você não está atrasado, nem adiantado, você está exatamente na hora certa

Se todos os percursos conduzissem a mesma estrada, quem seria responsável pelo frio na barriga? Se todos os destinos fossem iguais seríamos movidos pela monotonia? Quem carregaria as surpresas, os mistérios, as borboletas no estômago? Não pulei nenhuma fase por ter me casado cedo, sua amiga não estragou a vida por ter sido mãe aos quinze, seus pais não se separaram depois de vinte e cinco anos de casamento apenas porque o amor se esgotou. Tudo o que vivemos tem um propósito e cada um tem o seu próprio tempo. Um tempo para descobrir coisas sobre si, sobre o outro, sobre o mundo. Viver é uma tarefa constante que envolve costurar sonhos e desfazer nós, passados e presentes. Somos tão extraordinários, então porque resumir nossa existência em escolhas vagas, competições ou comparações? Viver a vida não é se limitar a existir.

Se o tempo fosse igual para todos nós, ele perderia seus enigmas. Essa é a beleza do tempo: não saber para onde ele irá nos levar, nem o que ele nos reserva. Não faria sentido se todos se casassem aos dezoito, tivessem seus filhos depois do trinta e trabalhassem na mesma profissão. Você já parou para pensar que é justamente por não entendermos que o tempo de cada um é diferente, que temos sofrido para compreender o que está acontecendo na nossa vida? O seu “agora” não é o agora do outro. Cada um tem o seu “agora”.

Embora exista aquela pressão do que devemos ser, como ser, você é quem deve respeitar o seu próprio tempo, entender e aceitar isso é valioso. Faz parte de um processo de autoconhecimento que precisa te encher de confiança e orgulho pela pessoa que você era, é, e está se tornando agora. Não são passos lentos, são os seus passos que te diferencia dos demais, então permita-se viver pacientemente e aguardar por esse tempo, a vida se encarrega de fazer o resto quando nós fazemos o nosso.

84 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *