Ame sua própria companhia, todas as outras são temporárias

Ela viveu por muito tempo na sombra de outras pessoas para entender que sua existência era suficiente. Ela aceitou amores pequenos que a fizeram esquecer quão grande era sua capacidade de amar. Ela vivia de metades, porque buscava nos outros o que ela podia encontrar apenas nela. Existe uma linha, por vezes tênue, que separa o sentimento de solidão da situação de estar sozinho. Por vezes, escolhemos ser solitários, para evitar que os transtornos externos afetem nosso ser. Já a solidão é um sentimento melancólico e que incomoda quem não quer ficar sozinho de jeito nenhum. Existem pessoas que mesmo sozinhas não sentem solidão, assim como existem pessoas que vivem rodeadas de gente e sentem ela. A solidão vem de dentro. A solidão é algo subjetivo, dependendo do que cada um sente dentro de si.

Solitude corresponde o amor próprio, com aceitação de si mesmo, com entendimento de toda luz e de toda escuridão que há dentro de si, lidando com isso sem se machucar, nem machucar ninguém. É trilhar pelo caminho do acolhimento, da apreciação a companhia de si mesmo, de gostar de estar sozinho, é reverenciar tudo o que somos e temos por nós mesmos, sem tristezas ou dramas. Somos nossa própria companhia, uma companhia leve e que basta. Um dia, muitas pessoas acabarão indo embora de nossas vidas, uma hora outra, seja por vontade própria, pelas distâncias que a vida traz ou por causas diversas.

Inevitavelmente, trilharemos um caminho onde nos veremos sozinhos e solitários, em alguns instantes de nossa existência, mesmo quando menos esperarmos, ainda que contra os nossos anseios. Nessas horas, teremos somente a nós próprios para atravessarmos a escuridão avassaladora dos caminhos tortos que se revelarão à nossa frente. E tudo bem, porque somos suficientes apenas por sermos nós mesmos.

Dentro de nós existe um pensamento que atormenta: só seremos felizes se estivermos com alguém, se estivermos em um bom trabalho, sem brigas, intrigas e sem nenhum empecilho. Nossa própria companhia é menosprezada por nós mesmos, porque a gente nunca se acha suficiente. Quando aprendermos a apreciar a nossa companhia, a escutar o nosso coração, a entender os sentimentos que preenchem a nossa alma, saber lidar com as repetidas ausências alheias não será mais uma luta. Trilhe apenas uma batalha, lute com todas as forças para estar bem consigo mesmo e com o que você carrega dentro de si, porque é com isso que chegamos na vida e é com isso que sairemos dela: com as nossas bagagens e levando apenas o que gente verdadeiramente é.

Espero muito que vocês gostem, um super beijo e até o próximo post!

70 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *