Quem quer, demonstra. Quem não quer, também!

Vocês se cruzaram em uma rua qualquer, trocaram algumas palavras e depois disso, não se soltaram mais. Semanas se passavam e os encontros eram constantes, finalmente uma sexta-feira e você logo o convida para sair, mas ele não responde. Então, você convida sua melhor amiga, porém, ela diz que já tem compromisso. Sem se abalar, você veste sua roupa favorita e caminha até o local onde sempre se reúne com sua turma de amigos e se depara com os dois. Sua melhor amiga estava rodeada de pessoas que acabou de conhecer e ele com outra garota que você nunca havia visto. Respirou fundo e voltou para casa, não questionou o que acabou de presenciar, preferiu não tentar remendar o que descosturou, mas tentar produzir peças inéditas com os tecidos novos que acabaram de chegar.

Quando nosso coração bate mais forte por alguém, fica em evidência. Quem se importa, sabe quando algo está errado. Amar e ser amado é uma das experiências mais lindas que um ser humano pode ter. Entretanto, quando amamos e não somos correspondidos, o que deveria ser colorido, passa a ser preto e branco. Na emoção do momento, tentamos mascarar a falta de interesse com motivos falhos:  ele visualizou e não respondeu porque deve estar ocupado, ele saiu com aquela garota, mas o problema deve ter sido algo que falei ou fiz. Apenas pare, ele não respondeu porque ele não quis, porque não estava interessado e talvez, você irá ler digitando no Whatsapp dele apenas quando as outras opções não estiverem on-line.

Talvez não existissem decepções se não criássemos expectativas. No entanto, quando o sentimento nasce, se não soubermos domina-lo e agirmos conforme o afeto, deixamos a razão de lado. Com isso, idealizamos uma pessoa e esperamos algo dela que jamais poderá nos oferecer. Quando somos correspondidos, não existem desculpas. Quem realmente nos ama faz de tudo que está ao seu alcance para estar ao nosso lado. Compromissos, tempo e distância são pequenos empecilhos quando se quer caminhar de mãos dadas.

Não é simples diferenciar quando o amor está ou não sendo retribuído, nossas ilusões nos cegam, mas é preciso ver além do que é benéfico para nós para evitar futuras decepções. Tentar não custa, mas quando insistimos demais ao ponto de deixarmos a nossa dignidade de lado, é melhor colocar freios no sentimento e partir para outra.Desapaixonar é tão bom quanto se apaixonar. Desapaixonar leva tempo, mas o que não mata, ensina. Quando conseguimos soltar as amarras, passamos a encontrar motivação na vida novamente.

Lembre-se que amar e não ser correspondido acontece com todos. O defeito não está em você, muito menos na pessoa que você se apaixonou. Quando as coisas não estão destinadas a acontecer, elas não acontecem. Antes de amar outro alguém, aprenda a se amar. Aprenda a olhar com outros olhos a decepção. Você não perdeu nada. Apenas teve a chance de aprender lições grandiosas que só a dor é capaz de nos ensinar.

Espero muito que vocês gostem, um super beijo e até o próximo post!

80 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *