Você será feliz, disse a vida, mas primeiro o tornarei forte

Serás feliz, disse-me a vida, mas primeiro o tornarei forte e resiliente. Farei você renascer. Porque não será capaz de enxergar o quanto tu és forte sem que essa seja sua única opção. Porque eu, a vida, sou constituída de cicatrizes, de sossego, de afetos, de momentos bons e ruins, de companhias, de oportunidades e dificuldades e dessa sabedoria que refletimos sobre os problemas mais caóticos. Estarei aqui para lhe segurar diante os solavancos, quando precisar remar contra o vento e a maré, quando você precisar abrir suavemente o tesouro da sua fortaleza interior. Estarei aqui mesmo quando não me quiser, mesmo quando demonstrar que se cansou de mim, porque sou feita de idas e vindas e dentre as curvas dessa estrada desconhecida há muito para te surpreender e para te ensinar a ser.

Estava assistindo um vídeo essa semana e nele foi citado a seguinte frase: quanto mais bonito é o espetáculo, maior é a confusão atrás dos bastidores. E é exatamente assim, mas infelizmente, só conseguimos enxergar o sucesso de alguém, sem nem pensar em suas batalhas por trás daquelas vitórias. A diferença entre quem apresenta o espetáculo e quem admira o seu resultado, pensando que não é suficiente para ter um próprio, é que um entende que as dificuldades são precisas, e o outro entrega de bandeja sua própria existência por pensar que não é forte o suficiente para seguir em frente. Ser mentalmente ou emocionalmente forte ou resiliente, significa saber adaptar-se bem a problemas como o estresse, os traumas, as adversidades ou as tragédias. Nós não nascemos resilientes – este é um processo que pode ser aprendido por qualquer pessoa.

Vocês conhecem a história da menina, do ovo e do café? Era uma vez a filha de um jardineiro que vivia se queixando da vida e do quando era difícil seguir em frente. Ela estava cansada de lutar e já não tinha ânimo para nada, quando um problema era solucionado, um novo aparecia e isso a fazia se sentir derrotada. O jardineiro pediu a sua filha para se aproximar da cozinha e se sentar. Então, ele encheu três recipientes com água e colocou no fogo. Quando a água começou a ferver, colocou uma cenoura em um dos recipientes, um ovo no outro, e no terceiro alguns grãos de café. Deixou ferver sem dizer uma palavra enquanto a sua filha esperava impacientemente sem entender o que o pai estava fazendo. Cerca de vinte minutos depois ele apagou o fogo: tirou as cenouras da água e colocou em uma tigela, colocou os ovos em um prato e por último coou o café.

Ele olhou para a filha e perguntou: “O que você vê”? “Cenoura, ovo e café”, foi a resposta dela. O pai pediu que ela chegasse mais perto e tocasse a cenoura, ela obedeceu e percebeu que as cenouras estavam macias. Em seguida, pediu que ela quebrasse o ovo, ela tirou a casca e percebeu que o ovo estava duro. Por último, pediu que ela tomasse um gole de café. Ela experimentou, sorriu enquanto provava o seu doce aroma e perguntou humildemente: “O que significa isto, papai”?

O jardineiro então explicou que os três tinham enfrentado a mesma adversidade: a água fervente, mas haviam reagido de formas muito diferentes. Corajosamente, a cenoura entrou na água forte e resistente, mas depois de passar pela água fervente se tornou fraca, fácil de se desmanchar. Já o ovo entrou tão frágil, mas sua casca fina protegeu o líquido interior, depois de passar pela água fervente, ele havia endurecido. Já o café, depois de passar pela água fervente, havia transformado a água.

“Qual deles você é”? Ele perguntou à sua filha. Quando a adversidade bate à sua porta, como você reage? Você é como a cenoura que parece forte, mas diante da dor e da adversidade se torna frágil e perde a sua força? Você é como um ovo que tem um coração e um espírito maleáveis, mas depois de uma morte, separação ou demissão, você se torna dura e rígida? O exterior continua o mesmo, mas como você se transformou por dentro?

Ou você é como o café? O café mudou a água, que era algo que lhe causava dor. Quando a água chega ao ponto de ebulição, o café atinge o seu melhor sabor. Se você é como o grão de café, quando as coisas pioram, você reage e transforma as coisas ao seu redor para a melhor.

Ser um ovo ou uma cenoura só afeta a si mesmo, portanto, levante-se e siga em frente. Lute, porque se você não reagir hoje, sofrerá amanhã. Seja forte e confie em si mesmo, não pare. Entenda que é natural aparecerem empecilhos. Cada pedra no caminho te ajuda a rever seus valores e objetivos e te brinda com a possibilidade de aprender sobre aquilo que estava incompleto. No fim, nenhum espetáculo surge em um estalar de dedos, em seus bastidores as confusões persistem, mas a vitória nasce das cinzas do erro e da adversidade.

Mas e você, se fosse se definir seria ovo, cenoura ou café?

Espero muito que vocês gostem, um super beijo e até o próximo post!

44 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *