Qual a melhor forma de conhecer uma nova versão de si?

Li um livrinho infantil que mostrava dois pequenos meninos, exemplificando as duas versões de cada um de nós. Um dos menininhos tinha um foco de luz bem claro em cima da sua cabeça, mostrando a melhor versão de si mesmo, e o outro tinha em cima da sua cabeça uma nuvenzinha, só que escura, mostrando sua pior versão. Há todo instante podemos escolher se queremos ser a melhor ou a pior versão de nós mesmos. Quem você é e quem você acredita ser constrói todos os resultados da sua vida. Mas, essa é a questão: quem você quer ser? Ser bom ou ruim é uma definição tão vaga perto da infinidade de versões que carregamos dentro de nós mesmos. Podemos transformar o universo de alguém usando um nariz de palhaço e roupas coloridas, podemos ser alguém seguro de si, que simplesmente vive sem medo da vida, somos os mesmos quando não queremos ver ou falar com ninguém, e quando rimos das coisas mais alheias, como definir tantos infinitos com apenas algumas palavras?

Você precisa definir seus valores para cria-los de dentro para fora. Se você não souber exatamente o quer expressar, você não vai conseguir criar nada. O que cria a pessoa do futuro são nossos pensamentos. Se você não desenhar conscientemente o que você quer criar no seu futuro você provavelmente vai continuar repetindo o que você já conhece. Uma forma de explorar as nossas milhares de formas é demonstrando-as em nós mesmos. Dizer que uma roupa ou uma maquiagem faz a gente agir de uma forma diferente pode parecer vago, porém, toda ação que faz a gente sair da zona de conforto é uma forma de auto conhecimento. Imagine:  você foi até uma loja e comprou um sapato de salto, pelo qual você se apaixonou, mas chegando em casa você se sentiu insegura ao usa-lo e o deixou por meses dentro da caixa, quando você se sentiu segura para usa-lo, um misto de sensações lhe invadiu, como a confiança, a auto estima e aquele anseio de saber que você pode explorar novas coisas. Você se sente mais feliz, mais auto confiante e motiva todos ao seu redor com os mesmos sentimentos, te apresentando para uma versão desconhecida de si mesma.

Descreveria minhas últimas combinações com estas poucas palavras, elas possuem um mesmo destino, este que é fundamental para manter em nossa vida a motivação. O short de cintura alta sempre complementou minhas composições, mas sempre ficava na zona de conforto ao me deparar com uma blusa que tivesse transparência e com o cropped. Nas ironias dessa vida, me fascinei por peças que antes não entravam no meu armário. O grande diferencial das roupas da Nathalia Freitas é que elas são confeccionadas em um tecido que desenha o corpo feminino, além de ser confortável, elas são fresquinhas e fáceis de combinar com outras peças. Elas são produzidas de forma tão impecável que mesmo usando-as constantemente, parece que é sempre surpreendente como a primeira vez.

São raras as coisas materiais que deposito amor, mas falar dessa peça é como descrever o indescritível. Depois da minha cirurgia de pé plano sempre fiquei insegura para usar sapato de salto alto, e quando fiquei frente a frente com essa sandália me questionei se realmente a usaria. Mas, abrir sua caixa e ver sua delicadeza e sua originalidade foi o mesmo que me despedir do comodismo e me aventurar em uma nova descoberta. Além disto, esse modelo  trouxe o conforto que até então não havia encontrado.

Há cinco anos, surgia no mundo do e-commerce uma loja que iria além, a Gimultimarcas tem como ideal proporcionar os melhores modelos de Melissa as suas clientes, eles cuidam com carinho de cada pedido para que ele seja efetuado e entregue o mais rápido possível. Resistir aos modelos é uma missão fracassada.

Melissa Aranha Heel Flocked 

Shorts Vitoria 

Blusa Tule com Bordado

Cropped Thassia  

Compartilha com a gente: o que já te fez sair da zona de conforto?

Ei, você não vai embora sem me dizer qual foi seu modelo favorito, né?

Espero muito que vocês gostem, um super beijo e até o próximo post!

57 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *