Como organizar minhas finanças pessoais e fazer sobrar dinheiro?

Como você organiza suas finanças pessoais? Você tem dinheiro no final do mês para comprar todas as coisas que precisa ou deseja? Conseguiu pagar no prazo todos os compromissos do mês, sem precisar pagar apenas o mínimo do cartão de crédito? Conseguiu juntar o dinheiro que precisava para fazer a viagem que sonhou nas suas férias? Se sua resposta foi não para um destes questionamentos, este é o momento para revisar o seu orçamento e identificar o que pode ser melhorado para chegar ao final do ano no azul, sem pagar empréstimos ou juros do cheque especial. Somos preenchidos por sonhos, e no fim das contas, eles não passam de ideias que são esquecidas no papel. O que acontece com todos esses objetivos que planejamos, nos animamos e sonhamos com eles, mas nunca se tornam realidade? Organizar nossa vida financeira é a melhor forma de evitar problemas, dores de cabeça e conseguir o que quer.

Ter a casa própria, comprar um carro, iniciar um curso acadêmico, pagar escola particular para os filhos ou viajar para outro país nas férias, são propósitos que todo mundo anseia. Esses objetivos nos mantêm motivados e felizes em trabalhar, sem eles provavelmente nossas vidas seriam vazias e sem sonhos. Por outro lado, existe um consumismo desenfreado na cultura brasileira. Celulares, carros e roupas deixam de ser itens básicos e passam a demonstrar status na nossa sociedade. As pessoas compram sem planejar e sem um controle financeiro, não pesquisam preços, não calculam juros de parcelamentos e não negociam valores ou prazos, por isso, cerca de 80% da população brasileira possuem contas em atraso. É uma infinidade de problemas que enfrentamos ao longo da nossa vida por não aprender a gerenciar as nossas economias corretamente.

”Ter dinheiro” não depende do salário, tenha a consciência de que economizar dinheiro e investir com qualidade tem muito mais relação com hábitos financeiros saudáveis do que com quanto você recebe por mês. Um exemplo, Maria trabalha em uma empresa e recebe um salário equivalente a dois mil reais, com esse valor, ela consegue pagar seu apartamento, seu carro, sair os finais de semana e viajar uma vez por ano. Alguns meses depois, Maria é promovida no trabalho e passa a ganhar cinco mil reais. Com esse novo salário, ela se muda para um apartamento maior, troca de carro, começa almoçar todos os dias fora de casa e viaja duas vezes por ano. Lembre-se: uma forma eficaz de enriquecer é parar de empobrecer.

Isso acontece constantemente quando alguém recebe um aumento, por mais que sua vida já seja confortável, se seu salário aumentar, com certeza, ele será todo comprometido com novas dividas, mesmo sendo desnecessárias. Para dominar sua vida financeira, é essencial que você viva um degrau abaixo do que você ganha, comprometer todo o seu salário é fazer uma armadilha para si próprio.

Cuidado com as pequenas despesas, um pequeno vazamento afundará um grande navio, sempre que possível, realize compras à vista. Assim evitará o acúmulo de compras e de possíveis juros que podem contribuir para gerar uma dívida de vários meses pra ser paga, impedindo que você possa investir em algo rentável. Outra forma de poupar é evitar o desperdício, reduza o consumo de energia elétrica na sua casa com lâmpadas econômicas, evite usar o ar condicionado todos os dias, ou usar menos a máquina de lavar roupas e o chuveiro, por exemplo. Reduza as despesas de modo inteligente para que o dinheiro possa ser utilizado de outra forma, em um cenário positivo, que o dinheiro gere rendimentos ao invés de juros.

Se você não estiver diante de um ”sim” óbvio, então é um não indiscutível, suponha-se que você encontrou uma blusa, ela tem sua cor favorita, um caimento legal, mas você ficou naquela dúvida, investir ou não? Lembre-se: se fosse uma compra realmente útil, não existiria dúvida. Se existiu, aquilo não vale tanto a pena assim.

Qual o destino do seu dinheiro? Cada pessoa tem um perfil de investidor único, assim como sonhos e objetivos para realizar com o dinheiro que ganha. Se você não tem clareza do que é prioridade pra você, provavelmente verá seu dinheiro evaporar ao longo do mês em gastos supérfluos que você nem se dá conta.

Empresas escondem os bons pacotes, você percebeu que o plano de internet possui um valor muito alto ou que não usa a tv a cabo tanto assim para arcar com todo o custo? Normalmente, empresas não divulgam seus pacotes mais acessíveis, mas eles existem. Ligue e diga que o valor está muito alto e quer cancelar aquele plano, milhões de opções são oferecidas para você continuar sendo cliente.

Crie hábitos realistas, a dieta certa não é aquela que começa toda segunda-feira, mas sim que tem uma meta coerente, nossa vida financeira possui a mesma frequência. De nada adianta acordar amanhã e dizer que vai parar de almoçar fora, que vai começar andar a pé e que só vai comprar roupas usadas. Provavelmente essas promessas não vão durar nem uma semana. Dê um passo de cada vez, sem mudanças bruscas. Por exemplo: se você ainda não tem o hábito de poupar e investir o dinheiro, comece a economizar 1%, 2%, 5% dos seus ganhos. E com o tempo, aumente essa porcentagem. O essencial é criar hábitos e trocar o prazer do consumo imediato, pelo prazer de ver seu dinheiro rendendo.

Preço é o que você paga, valor é o que você leva, essa frase é valiosa para entendermos o conceito de custo x benefício. Se você for ao supermercado, por exemplo, comprar um refrigerante para casa, mostre como o custo benefício de uma garrafa de dois litros é maior do que o de uma lata de 350ml. Faça suas escolhas financeiras baseadas na relação de valor e preço.

Compartilha com a gente: o que você pretende fazer esse ano? Quais são suas metas?

Espero muito que vocês gostem, um super beijo e até o próximo post!

88 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *