Renovação: o fim de um ciclo e minhas bagagens de 2017

Dois mil e dezessete se iniciou e não demorou muito para se tornar marcante, ele simbolizou o que já era eterno em um momento: o meu casamento. Com novos planos, sonhos mais coloridos e com mais união, interligamos nossa vida como uma só. Em poucos meses, fomos surpreendidos pela instabilidade financeira, naquele ápice ficamos perdidos, mas entendemos o significado daquele fase depois que conseguimos alcançar nosso trabalho como autônomo. Quando nossa vida possui equilíbrio, qualquer minuciosidade desaparece, você está rodeado de pessoas, tem a possibilidade de ir em lugares novos, sair nos fins de semana, de comprar uma roupa legal, porém, quando uma turbulência como essa atinge nossa história, você acaba percebendo infinitas coisas de uma só vez, e a mais grandiosa delas é que é simples fazer parte de alguém que te proporciona boas coisas, mas na hora de lutar por aquela pessoa, é mais simples não fazer mais parte da vida dela. Esse ano foi árduo para muitas pessoas, mas ao invés de remoer tudo de ruim, o ideal é refletir sobre cada negatividade e positividade e colher de cada barreira uma lição e a mante-la viva nesse novo ciclo.

Pessoas que me abraçaram nas horas boas, me viraram as costas quando precisei. Pessoas que nunca sonhei, me ouviram e me disseram as palavras certas. Pessoas que compartilharam suas vidas comigo, desapareceram. Enquanto, outras que nem conhecia, se tornaram raras. E tudo bem, essa inconstância é aprendizado, ela foi responsável pelas mudanças interiores que adquiri e que me fizeram amadurecer tanto, ao invés de despejar rancor pelas devastações, agradeci pelas conquistas, mesmo na dor, manifeste a gratidão, pois quando o sol voltar, você vai entender o porque de cada instante e como ele foi essencial na sua trajetória.

Entendi que tomar o trabalho, problemas e responsabilidades de outro alguém, é vago. Insistir em aconselhar quem não escuta ninguém além de si mesmo, é inútil. O amor possui limites, requer não, requer concessões, requer reciprocidade. Você não pode fazer nada para alguém que não queira, que não valoriza quem você é. Entendi que dizer não é preciso e na maioria das vezes, pode ser libertador. Dizer não para uma pessoa, pode ajudar a preservar sua saúde mental e te manter em paz. Dizer não para uma oportunidade, também pode ser algo positivo, principalmente se ela não for compatível com os seus ideais e não for acrescentar algo bom em sua vida.

Compreendi que o certo e errado são relativos, defender os nossos valores, ideais e propósitos é magnífico, mas precisamos ouvir o que os outros têm a dizer. Todo mundo, que você conhece pessoalmente ou não, tem algo para compartilhar e ensinar. Esse contato com pessoas com pensamentos opostos, faz com que a gente reveja nossos ideais e conceitos. As vezes, tudo que a gente precisa é pensar fora da caixa.

Velejar pelas memórias do passado é algo precioso, é como abrir nossa bagagem e explorar um mundo que foi tão especial. Mas, viver apenas do que passou é um erro. As pessoas mudam, as vontades passam, os planos se metamorfoseiam. Por mais, que o que passou tenha sido bom, é preciso entender que as coisas mudam e que nem sempre isso é ruim. Não se culpe caso algo especial tenha sido esquecido, os ciclos passam e é normal as coisas serem diferentes, não viver de passado não significa queimar suas memórias, significa apreciar o que foi bom e se motivar para criar instantes tão marcantes como os do passado, dessa vez com pessoas que se manteve do seu lado, que compartilham suas vidas com você, que realmente aprecia o que você é, elas lhe proporcionaram momentos marcantes, mas dessa vez, de um novo ângulo, esteja aberto para isso.

E todos os meus erros, acertos e auto conhecimento, foram compartilhados por trezentos e sessenta e cinco dias com vocês, leitores do Minuto de Bobeira. De tudo que se tornou eterno, o nome desse espaço está em um dos primeiros colocados. Partilhar das minhas experiências, da minha escrita e da minha essência, me fizeram querer ser uma pessoa melhor, ver que minhas palavras alcançam pessoas que precisam, é algo extraordinário. Obrigada por todas as vezes que acessou meu site para ver um post novo, por todas as vezes que escreveu uma mensagem para mim, saiba que sou extremamente grata pela sua presença. Obrigada para as marcas parceiras, que investiram e acreditaram no meu trabalho. Obrigada por se tornarem minhas inspirações e minha motivação.

Darei uma pausa nas postagens do Minuto de Bobeira neste fim de ano, mais no dia 03 de Janeiro, voltaremos com posts novos todos os dias. 

Qual foi o maior aprendizado que você teve nesse ano? O que te surpreendeu? Compartilha comigo!

Espero muito que vocês aproveitem cada segundo com as pessoas ao seu redor, que você possa tranquilizar o seu coração após essa longa batalha, que os dias de festa sejam renovadores e inspiradores para seu novo ciclo e que a história dele seja linda..

83 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *