Sua zona de conforto é um lugar lindo, mas nada cresce lá..

Vivi na mesma casa por dezesseis anos, tinha um destino certo nas férias, andava com a mesma turma, gostava de usar as mesmas roupas, por mais que uma vontade infinita de explorar além dos horizontes se fizesse presente, me satisfazia em me manter no mesmo lugar. Até que percebi, que permanecer na zona de conforto era apenas uma forma de proteção, de ter tudo sob controle e de evitar problemas. Afinal, há quanto tempo aqueles hábitos rotineiros faziam parte da minha vida? Eles já eram conhecidos, era mais fácil aceita-los, do que enfrentar o incerto. No apego ao conhecido, criamos nossos laços, mergulhamos em nossa zona de conforto e afogamos nossos próprios sonhos.

Zona de conforto significa uma série de ações, pensamentos e comportamentos que uma pessoa está acostumada a ter e que não a causam nenhum tipo de medo, ansiedade ou risco. Lembre-se de que a zona de conforto é diferente para cada pessoa, imagine a seguinte metáfora: para alguns, a meditação é uma forma de sair dessa comodidade, enquanto para outros, para isso é necessário saltar de uma ponte em bungee jumping. O objetivo não é se tornar um viciado em adrenalina, mas entender o que cada pessoa é realmente capaz de fazer ao escapar desse cenário. Velejamos por um mundo intenso, onde se manter no meio termo pode parecer assustador, mas é preciso saber que podemos avançar nossos limites e depois voltar a um estado confortável para relaxar. E quando você começar a gostar novamente da tranquilidade, terá em sua bagagem momentos criativos, produtos, inspiradores e desconfortáveis fora da sua zona de conforto.

Estranhamente, nove de dez pessoas dizem sonhar em fazer muitas viagens pelo mundo. Mas, se sentem acuadas até numa viagem caseira, tão logo o avião sai do chão e já querem saber quando vão pousar, onde está a mala, em qual quarto do hotel vão ficar, onde visitar, qual roupa usar, elas exploram uma viagem inteira aflitas pelo que irá acontecer, sendo incapazes de deixar as coisas fluírem com naturalidade. Em vinte quatro horas, quantas coisas planejamos? Por conta disso, quantos momentos se passaram em branco por receio? Quantas desculpas arrumamos todos os dias apenas para permanecermos nessa zona de conforto?

 

Na rotina se impõe a lei do menor esforço, pois precisamos que seja assim. Apenas as situações excepcionais exigem o melhor de nós mesmos, é neste momento que descobrimos que podemos fazer muito mais do que acreditávamos que conseguiríamos. Quando você instala um único ponto de vista sem se dar conta, muitos ângulos da realidade, talvez mais proveitosos ou interessantes, começam passar despercebidos. Sair da zona de conforto permite aproximar-se de novas formas de olhar e de ver sua vida. Alcançando uma maior flexibilidade em suas apreciações e em seu modo de viver.

Abra sua bagagem e reflita sobre os momentos que você fechou os olhos e decidiu arriscar: quais memórias você conquistou? Quantos obstáculos que você pensava que não conseguiria enfrentar, foram superados? Seria possível descrever essa sensação de liberdade? Lembre-se disso todas as vezes que você se sentir preso em sua própria comodidade, pense que você está descrevendo um conforto vago e não um reconforto de uma vida plena e com verdadeira liberdade. Permanecer ou eliminar essa zona de conforto da sua vida é uma escolha exclusivamente sua.

Espero muito que vocês gostem, um super beijo e até o próximo post!

52 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *