Que tipo de pessoa você quer ser?

365 dias, 5 horas e 48 minutos é o tempo necessário para a terra completar uma volta em torno do sol. Enquanto, algumas pessoas são tão avassaladoras que dez minutos, um dia ou um mês bastam para provocar grandes metamorfoses na história de alguém. Será que é possível calcular quantas pessoas já cruzaram nosso caminho? Talvez seja mais fácil contar quantas permanecem nele, não é? Ninguém nunca pediu licença para entrar na minha vida, assim como, se foram sem ao menos se despedir. Algumas pessoas, insistem em ser cometas, enquanto outras são como as estrelas: mesmo que brilhem suavemente no céu, elas se fazem presentes de alguma maneira. O relógio não para de girar e um dia a vida buscará pela resposta: qual tipo de pessoa você vai escolher ser?

Dezenove janeiros foram responsáveis por aprendizados indescritíveis na minha história, muitas idas e vindas aconteceram, escolhas e decisões foram feitas, corajosamente nunca tive medo das dificuldades e sempre segui os caminhos do meu coração, mas nem sempre eles me levaram para caminhos difíceis. Em todos os percursos, interliguei minha existência com outras histórias, essas pessoas deixaram sua marca num ir e vir infinito, e sinceramente sou grata por cada uma delas, elas são responsáveis por me transformar em uma pessoa melhor e por me mostrar exemplos que nunca quero seguir.

Em meio as falhas, procuro abastecer minha essência com boas escolhas para superar cada atitude errada que já fiz. Com as pessoas egocêntricas, consigo compreender a importância da humildade. Com as carinhosas, aprendemos a ter gratidão. As batalhadoras me fazem ver que nada nessa vida é impossível quando se tem garra. Com as pessoas que não expressam seus sentimentos, entendemos o valor do perdão e das palavras não ditas. Há aquelas que ficam de olho em cada minuciosidade, enquanto outras prestam atenção em cada conversa, outrora cruzamos o nosso caminho com pessoas organizadas, corajosas e que não pensam nas consequências.

Mas, e se nessa brisa passageira não quiser escolher ser ninguém, apenas eu mesmo? Seja. Esse teatro não permite ensaios, mas consente que a gente escolha ser o que quisermos, mesmo que isso signifique mesclar dez essências na mesma. Gosto de ser tudo ou nada, oito ou oitenta, mas me recuso ser cabeça dura e tentar fazer todo mundo pensar como eu, podes gostar de amarelo, assim como gosto das aquarelas. Posso sorrir e chorar ao mesmo tempo, correr sem rumo e ao mesmo tempo querer voltar para o meu refúgio. E tudo bem, em meio aos erros e aprendizados me instigo constantemente a ser o tipo de pessoa que gosto de ter por perto, essa foi minha escolha e a sua, qual é?

Espero muito que vocês gostem, um super beijo e até o próximo post!

38 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *