Minha Casa Minha Vida: como foi nossa experiência?

Aos sete anos, ganhei minha primeira bicicleta, em um piscar de olhos já estava em cima dela pedalando sem parar, não demorou muito para meu primeiro tombo acontecer, sem saber como reagir apenas deixei ela lá, corri para a casa e me escondi no banheiro. Em algum momento da nossa trajetória, precisaremos enfrentar circunstancias ruins, daquelas que nos deixará sem reação, neste instante, só pediremos por um refúgio, um pequeno espaço que permita que todos os barulhos se desfaçam, a negatividade tem a entrada recusada, assim como os julgamentos. Com portas e janelas, eles guardam memórias, formam famílias e permitem que quem os habita crie um mundo somente deles, tornando-se não somente nosso lar, mas nosso melhor abrigo.

O sonho de ter um lugar para chamar de seu está na lista da maioria – se não, de todas as pessoas. Há dois anos moramos no mesmo apartamento, ele se tornou nosso maior conforto, segurança e refúgio, porém, por outro lado sabemos que no dia de amanhã sentiremos a necessidade de encontrar um espaço para chamar de nosso. Alguns meses desse ano foram dedicados para realizar esse sonho, que estava tão perto e se tornou tão distante. Buscamos imóveis a venda, novos e usados, exploramos terrenos e pensamos em construir uma casa do zero. Entre as opções, o Minha Casa Minha Vida era o mais acessível e viável para nós, sem pensar duas vezes, fomos atrás de cada detalhe.

Tudo começou quando encontramos um imóvel usado à venda, o bom preço era seu maior atrativo, principalmente por ser uma casa praticamente pronta, apenas com o fundo para terminar. Ao chegar até uma correspondente da Caixa para fazer uma simulação, recebemos somente boas notícias. Nossos papéis estavam certos, o valor que precisávamos seria disponibilizado, a forma de pagamento ficaria exata, até que o proprietário do imóvel disse que a casa não poderia ser financiada, já que ele não tinha todos os papéis que o banco precisava. Tudo bem, não ficamos felizes em saber que não daria certo, mas acreditávamos que aquilo aconteceu por um motivo e que se não deu certo, coisas melhores estavam por vir. Sabíamos que a oportunidade estava ali, diante dos nossos olhos, resolvemos tentar outra opção: o terreno e construção.

Como não temos experiência com construção, optamos por ir até outro correspondente da Caixa, que entregaria a casa pronta para nós. Explicamos a situação, entregamos nossos papéis prontos para a aprovação e esperamos a resposta do banco. Dias depois, mais uma surpresa, nosso financiamento condicionou, ou seja, o valor disponibilizado diminuiu e a entrada beirou os 30 mil. Eles alegaram que isso aconteceu por termos comprovado a renda através de extratos bancários. O correspondente da Caixa, disse que tentaria encontrar uma nova alternativa, já que todos os nossos papéis estavam certos, o nome estava limpo, não teria porque dar errado. Esperamos mais de dois meses, indo todos os dias até a casa dele, sempre escutando que ele estava indo atrás para no fim, escutar que não deu certo. O Minha Casa Minha Vida tem como intuito levar a possibilidade de todos ter um lar, mas na maioria das vezes, na prática pode ser muito diferente. Durante a simulação e até conseguirmos todos os papéis necessários, foi criada a ilusão que aquilo estava muito próximo de nós, depois da aprovação só percebemos o quanto é difícil conseguir esse benefício, mesmo sem nenhuma restrição, mesmo com todos os papéis prontos e com a oportunidade ali.

Ficamos cara a cara com duas oportunidades imperdíveis, mas que não dependia somente de nós para se tornarem reais.  A esperança consumiu nosso ser, esperamos ansiosos por mais de três meses por uma resposta, os empecilhos eram mínimos, se fosse para ser, seria. Mas, não aconteceu. E a gente continua na espera, sem pressa, sabendo que o nosso refúgio está sendo planejado e quando ele estiver pronto para ser nosso, será exatamente como deve ser. Não somos donos do tempo, seguimos um trajeto que pensamos ter controle, mas não temos. Aguardo pelo dia que estarei sentada no mesmo sofá, rodeada de caixas pronta para uma mudança, escreverei o quanto foi bom esperar, porque nada acontece por acaso e se uma coisa não deu certo, erga a cabeça e entenda que aquilo não era para ser seu. E que isso não quer dizer que você não merece ter ou que nunca vai acontecer, só que precisamos esperar o tempo Dele.

 E vocês, já tiveram alguma experiência parecida? Compartilha comigo!

Espero muito que vocês gostem, um super beijo e até o próximo post.

53 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *