Blogosfera: porque números não são tudo?

Apreciando a dimensão desse universo conseguimos observar o quão pequeno somos, nossa magnitude é baseada na frequência da nossa essência, estamos em um grande precipício, onde nossa escolha é ser luz ou escuridão. Escolher ser uma criadora de conteúdo é aceitar uma vida constituída por incógnitas, optamos por não ser uma gota no meio de tantas outras perdidas no oceano, de alguma forma, no meio de oito bilhões de pessoas queremos ser e proporcionar a diferença na história de alguém. Infelizmente, vivemos na corda bamba dos números, nosso valor é definido a partir do número de seguidores que possuímos, mesmo indo além das estatísticas. Será que vale a pena se dedicar e ser apreciada por apenas pelos nossos números? Se fossemos uma empresa, qual seria nossa visão?

Imagine-se de olhos vendados, em um percurso desconhecido onde de alguma forma você precisa encontrar o destino correto no meio de tantos outros, o que faria? Essa incerteza é comum entre as criadoras de conteúdo, sem manual de instruções, vivemos as cegas procurando o melhor caminho para alcançar nossos objetivos. Aos olhos das empresas quanto mais seguidores atingirmos melhor será os frutos para a mesma, acredite, se basear nesse pensamento é um dos erros mais cruciais que uma marca comete ao investir em divulgações.

Suponha-se que sou uma grande marca de produtos de beleza em busca de influenciadores para apresentar meus produtos. Acabo de me deparar com o perfil do Whindersson Nunes, com mais de 14 milhões de seguidores, que hoje é referência no mundo humorístico. Em seguida, conheço 15 perfis de criadoras de conteúdo com grande referência no universo da beleza, com 30 mil seguidores em seu Instagram. Se tenho uma marca relacionada ao mundo da estética, qual seria minha escolha mais obvia? Embora o Whindersson tenha um alcança incalculável, ele não possui nenhuma identificação com o mundo feminino. Já as influenciadoras, são reconhecidas pelo seu talento e por abordar assuntos que de alguma forma transforma o dia de uma mulher, mesmo com números tão diferentes, essas criadoras de conteúdo estão cara a cara com o público que minha marca se identifica, sendo mais interessante para minha empresa.

Essas criadoras de conteúdo é meu exemplo para o que chamamos de influenciadores locais, uma grande tendência do marketing de influência. Os influenciadores locais têm uma audiência muito menor que os grandes influenciadores, entretanto, olhar apenas para os números é pedir para desperdiçar uma grande oportunidade de atingir o público mais provável de consumir sua marca.

Colocar como prioridade o números de seguidores das nossas redes sociais é uma grande bobagem, que infelizmente, muitas criadoras de conteúdo cometem. Por conta disso, infinitas mídias alcançaram os famosos seguidores fantasmas e se esqueceram do mais importante: o bom conteúdo. Priorizar seu conteúdo e sua influência é uma das chaves mais preciosas para atravessar grandes portas da blogosfera. Reveja seus ideais, ficar frente a frente com seu público alvo e buscar por interação, terá como resultado afinidade e prestigio entre você e seu público. Os números são um destaque, que marcas sábias analisam por último, outros fatores como a dedicação, conteúdo e fidelidade entre o criador e o público são grandes detalhes que pouquíssimos influenciadores tem como foco. Reflita!

Espero muito que vocês gostem, um super beijo e até o próximo post.

73 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *