Apenas o necessário: coisas que parei de consumir

Observar os dias de hoje se tornou labiríntico, parece que tudo ao nosso redor se tornou um comércio, os aniversários que antes eram especiais por conta do momento, se tornaram presentes, a fada do dente não é extraordinária por ser rara e sim por proporcionar moedas, os ovos de Páscoa se tornaram mais importante que o significado da data, entre tantas comemorações, tantos instantes excepcionais o consumo fez o significado cair no esquecimento. Ser feliz hoje é sair de uma loja repleta de sacolas, é poder andar no carro do ano e ter o armário repleto de roupas, enquanto o que realmente importa passa despercebido bem diante dos nossos olhos. Neste momento o consumo consciente entra em ação, esse é o ato de adquirir e usar bens de consumo, alimentos e recursos naturais de uma forma que não exceda nossa necessidade.

Entrar em uma loja de departamento e quer levar mais de uma blusa era comum, encher o carrinho do supermercado de alimentos que nem sequer eram consumidos no nosso dia a dia era ainda mais constante, já ter e querer outro item igual era normal, nessas idas e vindas não são apenas as dividas que começam aparecer, o desperdício e o exagero são outros fatores que se fazem presentes no nosso dia a dia. Quanto mais temos, mais queremos, quanto mais ganhamos, mais queremos ganhar, a ganância nunca para, sempre almejamos algo e isso não é um erro, aliás é nossa esperança e nossa motivação que nós fazem seguir, mas saber dar valor as coisas certas e investir no que realmente precisamos é ideal para não alimentarmos nossa alma das coisas erradas.

Houve um tempo que meu consumo não tinha controle, uma palavra me descrevia: querer. Um dia estava com vontade de comer fora, no outro queria aquela base maravilhosa do vídeo da minha blogueira favorita, em seguida queria uma bolsa, um segundo se passava e outro desejo aparecia, no fim estava com um guarda-roupa repleto de coisas que não usava, minha saúde ficou abalada por comer tanto fora e no fim, o valor e o zelo que tinha pelas coisa começou a desaparecer, pois sabia que se aquilo acabasse, ocuparia aquele lugar com outro item. Foi quando comecei a cair em si e devagar fui alterando as coisas erradas da minha rotina, me fazendo adquirir as coisas certas, dar o valor correto para os meus itens e consumir apenas o necessário.

Minha primeira mudança foi cortar os gastos com roupas, sabe aquelas roupas da promoção que compramos várias peças pelo preço em conta? É uma grande cilada se não soubermos comprar, chegava em casa repleta de sacolas, guardava tudo no meu armário e quando ia sair, nenhuma roupa combinava entre si, havia na minha frente um guarda-roupa repleto de objetos que não conseguiam conversar, no fim usava sempre as mesmas peças. Hoje prefiro comprar roupas mais básicas e antes de investir, penso e analiso se ela realmente combina com outras peças que tenho. Esse exagero se faz presente quando temos algum compromisso, sentimos a necessidade de ter uma peça nova para usar naquela data, mesmo sem precisar. Se o caso não for extremo, brinco com as peças do meu armário mesmo e vou, nada de comprar algo para usar apenas uma vez e depois esquecer.

Sabe aqueles feeds repletos de comidas maravilhosas do Instagram? Eles me faziam pirar no mercado, quando ia as compras e observava algo que já tinha visto em algum feed queria levar, mesmo não gostando ou sabendo que aquilo não iria ser consumido. Hoje levo minha listinha apenas com o que está faltando e se for para comprar algo a mais, que seja algo que a gente goste de verdade. Uma dica bem bacana é não comprar algo que a gente já possui, por exemplo, se tenho uma luminária linda, que gosto e que atende minhas necessidades, porque comprar outra? O mesmo acontece com os eletrônicos, eletrodomésticos, roupas e acessórios.

Se atente aos detalhes e dobre a atenção na hora das compras, além de economizar, você vai praticar o consumo consciente, que não ajuda apenas o consumidor, como o meio ambiente e ainda supre todas as suas necessidades.

Qual item é sua perdição, que você realmente fecha os olhos e compra mesmo? E qual atitude sua você poderia mudar para praticar o consumo consciente?

Espero muito que vocês gostem, um super beijo e até o próximo post!

44 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *