Passei em uma universidade longe de casa. E agora?

Na época do colegial meus amigos sempre planejavam suas idas para a faculdade, a mudança de cidade, morar sozinhos e ser independente. Confesso que esse nunca foi o meu sonho, sempre gostei da minha cidade, até porque tudo que amo está aqui. Quando saí de casa tudo mudou, agora pense comigo: se sair de casa já é uma grande mudança, imagina entrar na faculdade, morar em outra cidade, não conhecer ninguém, ficar longe dos pais e dos amigos, sem dúvida é um desafio complexo.

Bárbara Meyer é uma gaúcha de 19 anos que tinha o sonho de fazer odontologia, o desejo se tornou realidade mas junto com ele surgiram grandes desafios. A moça teve que deixar sua família e seu namorado para estudar fora, durante essa fase ela enfrentou diversas barreiras: problemas com a adaptação e principalmente a dor da saudade. Hoje ela vai compartilhar conosco um pouquinho dessa experiência! 😀

Como começou sua história virtual e como surgiu esse amor pela blogosfera?

Sempre fui muito ligada em internet e redes sociais, sempre tive uma quedinha por feeds organizados no Instagram e problemas com postar muitas fotos ou fotos parecidas. Quando começou a surgir a onda de influenciadoras digitais comecei a acompanhar blogueiras pelo Insta e Snap e em todo tempo livre que eu tinha passava horas olhando suas postagens, com o tempo meu interesse por ter meu espacinho na internet foi aumentando até que finalmente resolvi ir atrás.

Quais suas dicas para quem precisa conciliar: blog, casa e estudos?

Minha dica é: se descobrir, me conta! Hahaha para mim é muito complicado, inclusive já me obriguei a dar um time no blog várias vezes 🙁 mas é tudo questão de organização, é tudo questão de separar horas do dia para fazer determinadas coisas. De tal hora até tal hora estudar, depois cuidar de coisas da casa e então tirar uma horinha pra cuidar do blog, sempre tendo em mente que desistir não é uma opção!!

Quando você decidiu sair de casa e cursar uma faculdade fora da sua atual cidade, qual foi sua maior certeza e incerteza?

Na verdade, eu saí de casa muito no impulso de “terminei o ensino médio e preciso entrar em uma faculdade”, não parei muito para pensar nas consequências dessa escolha. Eu queria começar meu curso de odontologia, queria morar sozinha e para isso eu só precisava ficar longe de segunda a sexta, na minha cabeça seria fácil. Não foi.

Na época em que eu estudava era o sonho de várias amigas minhas passar em uma faculdade pública, ir embora da nossa cidade e trilhar um caminho. Tudo parece ser muito fácil, até ser feito. O que mais mudou na sua vida e qual foi o primeiro obstáculo que você enfrentou?

Minha vida mudou completamente. Antes minha mãe me acordava de manhã com café pronto, meu pai me levava e me buscava no colégio de carro e eu passava a tarde dormindo, agora tenho que acordar sozinha, fazer meu café da manhã, ir e voltar da faculdade caminhando, fazer meu almoço, ir e voltar caminhando de novo para faculdade, chegar de noite e ainda ter o apartamento para arrumar, uma janta pra fazer e várias cadeiras pra estudar.

Meu primeiro obstáculo foi logo um conjunto, resolvi dividir um apartamento que ficava na frente da faculdade com uma menina do meu curso que eu ainda nem conhecia e no fim não conseguimos nos dar bem. Dentro do apartamento dela a única que podia dizer que era meu era um quarto e dentro do quarto só tinha um colchão inflável (que furou na primeira semana), uma cadeira de praia, um espelho e minha mala. Eu lembro de ir para o segundo dia de aula com o olho inchado por ter passado a noite inteira chorando e depois disso passei meses me perguntando se realmente tinha certeza da decisão que tinha tomado.

Sair de casa é um momento muito especial e cheio de mudanças. Como você se planejou para sua nova moradia? Você preferiu morar sozinha ou com alguém?

Em dezembro eu passei no vestibular e minhas aulas começariam só em março, nesse meio tempo tive que resolver várias coisinhas sobre a faculdade e acabou que fui atrás de apartamento em outra cidade só uma semana antes das minhas aulas começarem, o que me deixava meio sem opções. Optei por dividir um apartamento com uma menina que também fazia odonto mas que estava alguns semestres na minha frente e confesso que não foi uma experiência muito agradável, como não nos conhecíamos antes de morarmos juntas foi muito difícil de criar laços, na minha cabeça parecia que eu era uma intrusa na casa dela. Fiquei um semestre dividindo e resolvi morar sozinha depois disso, tenho certeza que foi a melhor decisão que já tomei…

Por conta dessas mudanças precisamos abrir mão de muitas coisas e deixar algumas pessoas distantes de nós, como foi decidir mudar de cidade e começar um namoro à distância?

Para falar a verdade quando eu conheci meu namorado, em julho, eu não tinha a intenção de ter algo realmente sério mas eu sempre deixei claro que no próximo ano eu moraria em outra cidade, nunca foi uma surpresa. Então fomos nos conhecendo melhor, fui me apegando, começamos a namorar em novembro e em dezembro passei no vestibular, a única coisa que fazia parte dos planos desde o início.

Nossas primeiras férias juntas tiveram gostinho de despedida, tivemos entre o final do ensino médio e o começo da faculdade para aproveitarmos e foi tão bom que depois disso não conseguimos nos desgrudar mais. Acredito que a distância nos fortaleceu demais, nunca fomos de brigar um com o outro e morar em outra cidade só deixava isso mais distante ainda de nós.  Apesar de ter nos aproximado mais do que o esperado, eu sinto muita falta dele durante a semana, é complicado querer um abraço e ter que se contentar com uma chamada de vídeo no FaceTime mas eu devo muito ao meu namorado, ele sempre esteve do meu lado nos momentos ruins da faculdade, sempre ouviu meus choros desesperados do outro lado do telefone e me visita quase toda semana, quando eu me formar ele vai merecer um diploma tanto quanto eu hahaha e agora nas férias não desgrudamos nunca, não ficamos longe um do outro nem por um dia.

Quais as principais coisas que devemos levar em consideração ao ir para um novo lugar?

Em primeiro lugar tem que se ter certeza do que quer e muito foco para cumprir o objetivo da mudança, tem que saber que momentos ruins vão existir, mas não se deixar levar por coisas não tão boas.

Eu sempre fui muito apegada a presença das pessoas e quando decidi morar sozinha e em outra cidade não pensei muito nessa parte, achava que ia ser tranquilo e foi o oposto disso, me salvo pela parte do foco, se eu não quisesse muito terminar minha faculdade já teria desistido há algum tempo…

Como foi seu processo de adaptação?

Eu costumo dizer que todo dia eu dou um passo novo, já cheguei a ter certeza que nunca me adaptaria de verdade… Tem semanas que eu passo muito bem e semanas que eu choro incansavelmente de saudade de todo mundo, essa oscilação de sentimentos faz parte da minha rotina, nem todo dia amanhece bem mas eu procuro pensar que logo é final de semana e eu volto pra minha casa de verdade, morar sozinha em outra cidade não é uma coisa definitiva.

Depois de sair de casa, nos deparamos com muitas responsabilidades, uma delas são as contas. Qual sua dica para quem quer saber economizar e manter suas contas organizadas?

Eu tenho a sorte de ter meu pai por trás dessa parte. Como eu tenho aula todos os dias de manhã, de tarde e de noite, de segunda a sexta não me sobra tempo para trabalhar, minhas contas meu pai paga e eu procuro economizar ao máximo o dinheiro que ele me dá para me virar em Caxias, na maior parte do tempo eu consigo, reconheço o quanto é difícil pagar faculdade, lista de materiais, apartamento e todas minhas despesas em outra cidade junto com os gastos do resto da família.

Se você pudesse voltar atrás e mudar apenas uma coisa antes de seguir esse caminho, o que seria?

Acho que eu não teria tido tanta pressa em entrar na faculdade. Sou apaixonada por meu curso, amo atender meus pacientes, mas olho para trás e me bate uma curiosidade sobre como estaria sendo minha vida caso eu tivesse optado por fazer um intercâmbio antes de me jogar na loucura acadêmica.

Na verdade, não gosto de pensar nisso, acho que tudo acontece por uma razão e se hoje eu me tornei a pessoa que sou por ter passado por algumas dificuldades devido às minhas escolhas foi porque era para ter sido assim!!

Qual seu conselho para quem tem o sonho de cursar uma faculdade e sair de casa?

Foco!! Como eu falei antes, não pode se deixar levar por situações ruins. Momentos que não são bons existem para nos fortalecer, abaixar a cabeça nas dificuldades é sinônimo de perder oportunidades.

Além disso, nunca tente “deixar de lado”, sempre que precisar converse com alguém próximo, algum familiar ou amigo, não é porque tu decidiu sair de casa que tem que sofrer sozinho, todo mundo precisa de um colinho de vez em quando.

Ah, e estou disponível para esclarecer qualquer dúvida sobre o assunto e ouvir desabafos <3 Nada melhor do que cruzar com gente que nos entende no meio disso tudo.

Agradeço imensamente a Bárbara por ter compartilhado um pouquinho da sua história com a gente, você nós contou  momentos únicos da sua vida e tenho certeza que sua história irá ser a motivação de muitas meninas que estão passando pelo mesmo que você. Que no dia da sua formatura você olhe para trás e veja como tudo valeu a pena, como todo esforço é valido e como tudo é aprendizado. Te desejo as melhores coisas desse universo!

Espero muito que vocês gostem, um super beijo e até o próximo post.

90 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *