O mundo é como nós o vemos, e não como ele é

Muito estranho parar para pensar e ver que a mesma rua que vemos não é a mesma rua que os outros vêem. Que um problema que é gigantesco para mim, não é nada para aquele senhor que lê jornal todo dia na praça, porque ele enfrentou problemas muito piores. Quando era pequena estudava em uma escola de dois andares, o primeiro andar ficava as crianças do jardim de infância e primeira série e no segundo ficava a segunda e terceira série, lembro que via as crianças subirem as escadas para o segundo andar da escola e ficava maravilhada, era como se fosse coisa de outro mundo subir as escolas e estar em um ambiente que só os alunos da segunda e terceira série frequentavam. Finalmente havia chegado a minha vez, iria estudar no segundo andar da escola, todos os dias chegava na escola eufórica, até que com o tempo aquelas escadas perderam a graça, o corredor do segundo andar era tão escuro e as salas não eram tão legais como as do primeiro andar. Foi como se o encanto tivesse sido quebrado. Incrível como a mesma situação pôde ser vista de duas formas diferentes pelos mesmos olhos, na primeira como se fosse algo magnífico e na segunda como algo comum.

Decidi escrever sobre isso porque percebi o quanto os meus pensamentos mudaram de um tempo para cá, e o quanto ter visto a vida de forma negativa me fez perder momentos, ciclos que se encerraram e que só deixaram suas marcas e que por mais que eu sinta saudades e deseje voltar no tempo, não voltará. Não era uma pessoa positiva, não pensava antes de agir e nunca parava para admirar os presentes que a vida nos dá. O que fazia sentido para os outros não fazia sentido para mim, me sentia perdida e nunca conseguia encontrar qual era o meu lugar. Então, seguia o meu percurso com as expectativas que os outros colocavam em mim. Não foi simples perceber que essa vida não tem nossa forma perfeita, que não vamos conseguir encontrar um lugar definitivo para fazer morada, porque estamos em uma constante transição, o que você fizer hoje, talvez amanhã não fará sentido algum.

Lembro que quando morava com os meus pais nunca consegui sentar e realmente dizer a eles como me sentia, ao invés disso, passava horas sozinha no meu quarto. Lembro que ia em alguma loja com a minha irmã e nunca comprava aquilo que eu realmente gostava. Lembro que quando saia com as minhas amigas, ao invés de ser quem sou, era o que elas eram, me vestia igual, me maquiava igual, falava igual. Isso acontecia de modo tão automático, era como se fosse minha proteção para aquilo que não sabia lidar, pois seguindo os padrões me sentia encaixada e nunca era questionada, nunca precisava me impor. Até que de tanto seguir um padrão, acabei esquecendo quem eu realmente era e me tornei o que os outros eram, passei a ver a vida como todas as outras pessoas ao meu redor.

Minha transição começou quando sai da casa dos meus pais e decidi que não iria continuar seguindo o percurso que estava: fazia um curso de técnico de enfermagem e quando os estágios começaram, percebi que aquilo não era o que eu queria e que não iria conseguir fazer o bem para alguém, sem estar fazendo um bem para mim. Desisti. E pude perceber que nem sempre desistir significava fechar portas, no meu caso, desistir me abriu muitas delas. As vezes, precisamos ter um minuto de coragem e sair da bolha que estamos vivendo para perceber que aquilo não é o que a gente realmente quer, e seguir algo que não nos faz bem, destrói um pouquinho de quem somos todos os dias. Depois daquele dia me senti confiante em tomar minhas próprias decisões, entendi que lidaremos com as consequências das nossas escolhas, seja seguindo os padrões ou não, as expectativas ou não, sendo quem somos ou bloqueando nossa essência.

Definir a forma como você quer viver não quer dizer que sua vida será mais fácil, pelo contrário, é desafiador não pensar como todas as outras pessoas. Mas, ao mesmo tempo, é viver preenchido daquilo que você acredita, se identifica e te faz bem. É entender que você pode achar o azul a cor mais linda hoje e amanhã amar o rosa, vestir uma calça jeans e perceber que você só quer usar moletom, trocar o sorvete pelo açaí. E que tudo bem mudar, tudo bem explorar o desconhecido e as tantas opções disponíveis, tudo bem pensar fora da caixa e querer ver o mundo de uma forma diferente. Mas, que tudo bem querer ver o mundo com os mesmos olhos que as outras pessoas vêem também, desde que isso nos preencha.

Você nunca conseguirá descobrir uma nova versão de si mesma se continuar fazendo as mesmas coisas. Você nunca superará um medo se não o enfrentar de frente. Você nunca irá se amar do jeito que você é, sem olhar para si mesma. Você nunca irá admirar o pôr do sol se não parar para assisti-lo. Não saberá dirigir, se não for tirar a carta. Ninguém sabe quantos anos terá na terra, tão pouco sabe onde viveremos após essa vida. Então, não espere o tempo passar para perceber o quanto a vida é extraordinária e você não reparou. A vida é um livro, faça com que cada página tenha uma sensação diferente. Senão, de nada valerá esta jornada.

Espero muito que vocês gostem, um super beijo e até o próximo post!

44 Replies to “O mundo é como nós o vemos, e não como ele é”

  1. Olá Kaila tudo bem???

    Assim segue a vida! Nunca é tarde pra mudar, mesmo que seja de opinião! A graça da vida é que nada é para sempre!!!

    Beijinhos;
    Débora.
    https://derbymotta.blogspot.com/

    1. Oi Debora, tudo bem e você? Exatamente! ❤

  2. Oi Kaila

    seu texto caiu como uma luva pra mim!
    eu ando bem reflexiva, passei anos da minha vida sem olhar mt adiante
    focava no agora e hj, qd o futuro chegou, eu me vejo decepcionada.
    N posso culpar a vida por ter me tirado tantas coisas, é natural, mas me culpo p n ter priorizado coisas que hj me fariam diferente. Mas nada volta e preciso seguir, mas tem sido difícil. Às vezes reclamo mas sei que a culpada maior sou eu!
    Estou tentando para de me culpar e correr atrás do tempo perdido e aprendendo a priorizar.
    Preciso sair da minha zona de conforto e enfrentar o que me bloqueia!

    Bjoooos

    1. Nunca é tarde demais para agir, Fe. Ter identificado que você estagnou é o primeiro passo para mudar, o que você não pode deixar é que mais dias passem para agir! ❤

  3. Isso é uma verdade!
    É por isso que existe um novo amanhã, para repensamos nas nossas atitudes e tentar muda-las. A zona de conforto parece boa até você sair dela e descobrir um novo mundo, um novo ser, um novo jeito de viver.

    Um beijo
    Jéssica Andrews Blog

    1. Exatamente, Jéssica!

  4. Pois é.. eu sempre me pego lembrando da adolescência, em quanto alguns acontecimentos eram intensos e pareciam o fim do mundo, o fim de tudo e, no fim, tudo passava.. hj tento não sofrer tanto mais, pq vamos aprendendo muitas coisas… isso chama maturidade.

    Bjkas!
    Unhas&Tudo ♥

    1. E cada aprendizado é essencial para a nossa renovação! ❤

  5. Temos que olhar mais para dentro, assim a visão do que ocorre lá fora muda, se torna mais importante também.
    Agora que tenho 30 sei que mudaria tanta coisa que vivi nos 20, mas sabendo que não volta o tempo, melhor ver o que sou capaz agora no presente né?

    Zíper Chique

    1. Saber identificar as mudanças que acontecem conosco e ter o desejo de fazer diferente daqui para frente é o mais importante!

  6. Eu não me canso de dizer que amo demais seus textos Kai, sempre aprendo com eles e cada mensagem que você deixa, eu levo para a vida toda. *–*
    Demorei para aprender que devemos ser positivos e enxergar o mundo com os olhos da bondade e do amor, mesmo ele estando longe de ser assim.
    Beijos. ♥
    Diário da Lady

    1. Não sabe como fico feliz com seus comentários, Le. Obrigada!

  7. Kaila sempre nos inspirando.. amei!

    Um beijo,

    http://www.purestyle.com.br

    1. Fico muito feliz por você ter gostado, viu?

  8. Olá Kaila! Tudo bem?
    Seus textos trazem sempre tanta reflexão! Eu gosto de pensar nessas coisas.. e de mudar né! Sempre fundamental! Adorei!
    Beeijo

    http://lecaferouge.blogspot.com/

    1. Oi Tamara, tudo bem e você? Não sabe como fiquei feliz por você ter gostado! ❤

  9. Isso é amadurecer! Temos uma visão tão errada quando somos mais jovens, quem não faria diferente se voltasse no tempo?
    Bjoo

    Tiemi
    RoseBoxBlog

    1. Todo mundo faria, né? E acho que quando a gente se ver no futuro, desejaremos mudar muita coisa que estamos vivendo agora.

  10. Que reflexão maravilhosa, é exatamente isso!
    Beijos.
    http://vinteedoisdemaio.blogspot.com/

    1. Fico feliz por você ter gostado! ❤

  11. Que texto incrível adorei essa reflexão.
    Acho que tudo é assim até as pessoas são como vemos e nem sempre como elas são.
    Beijos
    Jana Makes Esmaltes e Cia
    Instagram
    Facebook

    1. Que bom que gostou Jana, fico feliz!

  12. Muito interessante isso. Me aconteceu uma coisa boba esses dias e até já estava aqui pensando em fazer u post semelhante, mas se trata do fator sorte e de como cada pessoa vê a mesma coisa por prisma diferente. Devo fazer o post ainda daqui alguns dias. Ótima reflexão como sempre. 🙂

    Bjkas!

    etudovaidade.com

    1. Fico feliz por você ter gostado, Di! 😀

  13. Mas que texto lindo! Identifiquei-me muito pois o ano passado saí de casa para ir estudar e foi uma adaptação que me fez crescer imenso!
    Beijinhos,
    Blog An Aesthetic Alien | Instagram | Facebook
    Youtube

    1. Mudamos muito, né? Fico feliz por você ter gostado! ❤

  14. Hey Kaila! Tudo bom?
    É incrível como tudo é questão de ponto de vista, não é?

    ~ miiistoquente

    1. Oi Thamiris, tudo bem e você? Tudo é!

  15. Kaila devemos sempre enxergar um mundo positivo, ótima a sua reflexão o seu texto falou profundamente, bjs.

    1. Fico feliz por você ter gostado, Lucimar! ❤

  16. Falou tudo Kaila! Nem sempre a grama do vizinho é mais verde e, às vezes a gente sonha tanto em ter o que todos querem, que quando a gente consegue, não era nada daquilo que pensamos… É tudo ilusão…
    Pensar do nosso jeito, ser a gente mesmo requer maturidade e coragem, ainda mais numa sociedade que quer todos iguaizinhos… afinal ser diferente dá medo… quando na real ser a gente mesmo é a verdadeira “graça da coisa”… rsrsrs
    Bjks!

    Mundinho da Hanna

    1. é exatamente isso, Hanna!

  17. Oi Kaila, que texto lindo!! Eu sou mais negativa do que gostaria de ser, seu texto me fez perceber um isso, acho que preciso trabalhar na positividade. E concordo que desistir não é fechar uma porta, é um recomeço!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    1. Não sabe como fiquei feliz com seu comentário e por ter te causado essa reflexão! ❤

  18. Nunca é tarde para mudar certas atitudes e hábitos que carregamos na vida.
    Big Beijos,
    Lulu on the sky

  19. As vezes vemos as coisas por um ponto de vista muito pessimista, eu também mudando isso aos poucos.

    PS.: Como faço para achar o botão seguir no seu blog? Não achei 🙂

    1. Oi Dernz, desculpa, ainda não tinha colocado. Para seguir basta colocar o seu e-mail no último item da barra lateral! ❤

  20. Kaila
    TUDO A VER com o que estou passando esse texto
    Engraçado que em tudo venho me deparando com leituras, frases, textos e mensagem de tipo “SAIA do comum, se arrisque, faça exatamente aquilo que você tinha medo de fazer” e o seu texto veio para esse papel… E é muito importante mostrar como isso fez diferença pra você e faz diferença pra nós.
    Muito bom, parabéns!!!

    Beijocas da Pâm
    Blog Interrupted Dreamer

    1. Não sabe como fiquei feliz com seu comentário, Pâm. Talvez você precise se movimentar e sair da zona de conforto que você está vivendo, não deixe de perceber os sinais do universo! ❤

  21. Silvana Almeida Souza says: Responder

    Ah mudanças que nos fazem bem, arriscar ás vezes é preciso, enxergar o mundo ou as pessoas de outra maneira acho que tem haver com amadurecimento isso sempre vêm com o tempo!
    Beijos Kaila!
    http://www.silalmeida.com

  22. Mudanças sempre são coisas boas, ainda mais aquelas que nos dão medo de tentar.
    beijos

Deixe uma resposta